Família Hypólito vai faturar dobrado

Dona Geni Hypólito não poderia estar mais orgulhosa. Depois de acompanhar o sucesso da filha Daniele, viu Diego, também ginasta, ser anunciado hoje como novo patrocinado de uma empresa de cartões de crédito - a Redecard -, seguindo os passos da irmã. Os dois estão treinando para os Jogos Pan-Americanos de São Domingos, em agosto, e para o Mundial de Anheim, nos Estados Unidos, em seguida. Diego, de 17 anos, e Daniele, de 18, acreditam que têm chances reais de medalha na competição na República Dominicana. Daniele, mais experiente, não assume a condição de favorita. "Quando você entra para competir, todo mundo está nas mesmas condições", diz a atleta, prata no solo do Mundial de Ghent/2001. Para ela e a equipe brasileira, o Pan servirá como "treino de luxo" para o Mundial de Anheim, 12 dias após o encerramento da competição continental. "Estamos em fase de treinamento intensivo. No Pan, a ginástica é importante para ajudar no quadro de medalhas do Brasil, mas será no Mundial que poderemos garantir uma vaga para a Olimpíada de Atenas/2004. Temos de ficar entre as 12 primeiras na competição por equipes para levarmos a equipe toda para a Grécia", explica Daniele. "Não quero que aconteça como nos Jogos Olímpicos de Sydney/2000, em que fomos só eu e a Camila Comin como titulares e a Marília Gomes e a Daiane dos Santos como reservas. A gente ficou feliz por ter ido, mas triste pelas companheiras que ficaram." Diego, quarto colocado no Mundial da Hungria/2002, está se recuperando de uma lesão no pé esquerdo e não viajou hoje com a equipe brasileira masculina, que disputa uma competição amistosa em Portugal no fim de semana. "Há três semanas eu estava treinando solo e caí com o pé virado, mas a lesão não é prejudicial para a disputa do Pan", informa Diego.

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 18h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.