Fantasma catalão

Durante a partida de ontem entre Espanha e Portugal, mais uma vez ouvi que o estilo de jogo espanhol é chato, entediante. Em alguns momentos torna-se difícil discordar da utilização de tais adjetivos. No entanto, algumas considerações precisam ser feitas. Então, vamos a elas.

WAGNER VILARON, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h07

Percebo que muita gente usa o Barcelona como referência quando analisam a seleção. Esperam que a Espanha jogue tão bem ou melhor do que o time catalão. Esse grupo parte do princípio que o time de Vicente del Bosque se resume à base do Barça reforçada por atletas do Real Madrid. Mas, cá entre nós, na prática não é bem assim que a engrenagem funciona.

Embora não conte com reforços do calibre de Casillas, Xabi Alonso e Sergio Ramos, o Barcelona tem a seu favor alguns diferenciais que fazem dele um time mais atraente de ser visto do que a própria seleção.

Em primeiro lugar está o entrosamento. Raramente vemos uma seleção desenvolver futebol tão dinâmico e ousado como o verificado nos principais clubes exatamente pelo fato desses últimos passarem toda a temporada juntos, seja em treinos, viagens, concentrações, jogos. Tudo isso conta no resultado final.

Ah, o Barça tem um tal de Lionel Messi. O argentino faz a diferença e, depois da eliminação de Portugal/Cristiano Ronaldo ontem, tem tudo para levar o título de melhor do mundo pela quarta vez.

Resultado: a posse e o toque de bola do Barça são mais ousados e eficientes na busca pelo gol do que os da Espanha. A seleção, por sua vez, usa essas características mais para cadenciar e administrar o jogo.

Torcida. Torço pela Alemanha na semifinal de hoje da Eurocopa. E não se trata de ter "algo contra" a Itália, como os mais passionais adoram distorcer sempre que ouvem algo que não gostam/concordam. Vou torcer pela seleção germânica pelo simples fato de querer ver aqui no Brasil no próximo ano, quando será realizada a Copa das Confederações, as duas seleções que considero as mais fortes e representativas do futebol europeu no momento: Espanha e Alemanha.

Independentemente do desempenho na atual edição da Euro, os espanhóis têm vaga garantida em 2013. Isso porque chegarão ao Brasil credenciados pela conquista da Copa do Mundo de 2010. Portanto, aquele que vencer a semifinal de hoje automaticamente estará por aqui no ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.