Farsa custou carreira de Rojas

Fazer-se vítima de agressões que não ocorreram muitas vezes não é um bom negócio. O castigo pode ser pesado, como o dado ao chileno Roberto Rojas, goleiro como Dida. A simulação em um jogo contra o Brasil em 89, pelas Eliminatórias da Copa de 90, custou-lhe o banimento do futebol. Diante de um Maracanã lotado, Rojas aproveitou um rojão atirado no gramado, próximo a ele, para fingir ter sido atingido. Cortou a testa com uma lâmina que trazia dentro da luva. Se de fato tivesse sido alvejado, o Brasil poderia até ser excluído da Copa pela Fifa. Como a farsa foi descoberta, o punido foi o goleiro.Recentemente, Bosco, reserva do São Paulo, simulou ter sido atingido por uma pilha no Palestra Itália, após jogo com o Palmeiras. Mau ator, foi suspenso por um jogo. Ontem, o STJD aumentou a pena: três partidas.

O Estadao de S.Paulo

05 de outubro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.