Nick Laham/AFP
Nick Laham/AFP

Favoritos se garantem nas semifinais do US Open

Nadal e Murray vencem seus rivais, se juntando a Djokovic e Federer na luta pelo título do último Grand Slam do ano

, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2011 | 00h00

NOVA YORK

As semifinais masculinas do US Open não reservaram surpresas. Os quatro melhores tenistas do ranking da Associação de Tenistas Profissionais (ATP) disputarão as semifinais do Grand Slam norte-americano. Depois do suíço Roger Federer e do sérvio Novak Djokovic conquistarem suas respectivas vagas anteontem e definirem um dos confrontos que apontará um finalista, o espanhol Rafael Nadal e o britânico Andy Murray derrotaram seus adversários, para a tristeza da torcida local, e também confirmaram favoritismo.

Murray foi o primeiro a entrar em quadra e venceu - com alguma dificuldade - o norte-americano John Isner por 7/5, 6/4, 3/6 e 7/6 (7/2), apesar da torcida da primeira-dama, dos Estados Unidos, Michelle Obama. Não tentou esconder o quão duro foi o confronto. "É frustrante atuar contra ele (Isner) porque você sempre que está jogando um bom tênis e mesmo assim tem dificuldades de quebrar o saque", explica o britânico.

Apesar de ainda não ter conseguido conquistar seu primeiro Grand Slam na carreira - tem nova chance nos Estados Unidos -, o tenista tem mostrado um desempenho invejável. Com a vitória de ontem, Murray garante vaga nas semifinais de seu quarto Grand Slam em 2011.

Na sequência, foi a vez de o espanhol Rafael Nadal atropelar o também norte-americano Andy Roddick por 6/2, 6/1 e 6/3. Com a vitória, o tenista segue firme na luta pelo bicampeonato. Foi condescendente com o adversário.

"O começo do jogo foi muito importante", avaliou Nadal. "Andy teve uma partida muito dura ontem (anteontem) e possivelmente estava cansado. Sinto por ele", disse o número 2 do mundo, que vem reclamando da pressão dos organizadorers para que os atletas joguem em Nova York mesmo que a quadra não esteja em condições ideais.

O confronto contra Murray, o próximo adversário, não inspira as melhores lembranças no espanhol. Em 2008, foi derrotado pelo britânico nas semifinais mas deu o troco no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.