David Gray/Reuters
David Gray/Reuters

Federação de Atletismo da Rússia revela mais dois casos de doping

Atletas já estão aposentadas, mas Corte Arbitral do Esporte optou mesmo assim pela punição

Redação, Estadao Conteudo

28 de outubro de 2019 | 12h14

A Federação de Atletismo da Rússia revelou nesta segunda-feira mais dois casos de doping no esporte nacional. As duas atletas já se aposentaram, mas foram punidas mesmo assim pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês). A velocista Yulia Gushchina foi punida com suspensão de quatro anos, enquanto Anna Klyashtornaya sofreu gancho de dois anos.

Campeã olímpica no revezamento 4x100 metros em Pequim-2008, Gushchina teve constatada em suas amostras a substância turinabol, proibida pela Agência Mundial Antidoping (Wada). O doping foi detectado durante o Mundial de Atletismo de 2011 e também nos Jogos Olímpicos de Londres-2012.

Mas o doping só foi confirmado recentemente, quando as amostras foram testadas novamente por novos métodos. O mesmo aconteceu com o caso de Klyashtornaya, banida por conta da mesma substância, detectada nos Jogos de Londres. Yulia Gushchina não compete profissionalmente desde 2016, enquanto Klyashtornaya está fora dos grandes eventos desde 2015.

A Rússia vem tentando se restabelecer no circuito de atletismo nos últimos meses depois que um escândalo, com uma série de casos de doping, abalou a credibilidade da modalidade do país em 2015. Em razão disso, os atletas russos não puderam disputar no atletismo nos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.