Federação Grega inocenta Kenteris e Thanou

A Federação Grega de Atletismo inocentou nesta sexta-feira os velocistas Costas Kenteris e Katerina Thanou, que não fizeram um exame antidoping antes da Olimpíada de Atenas, em agosto passado - por conta disso, não disputaram os Jogos. A culpa pela ausência deles no teste foi imputada ao treinador Christos Tzekos, que foi suspenso por 4 anos.Grandes nomes da equipe de atletismo grega, Kenteris e Thanou não participaram do exame antidoping surpresa que foi realizado no dia anterior ao início dos Jogos de Atenas. A justificativa para a ausência foi um acidente de moto que os dois teriam sofridos juntos. Diante do escândalo, ele não disputaram a Olimpíada. E, posteriormente, foram suspensos provisoriamente pela Federação Internacional de Atletismo (Iaaf).A suspeita era de que Kenteris e Thanou estavam dopados. O técnico deles, Christos Tzekos, foi, inclusive, acusado de fornecer as substâncias proibidas - mas a Federação Grega o inocentou dessa acusação.Kenteris, dono da medalha de ouro nos 200 metros nos Jogos de Sydney/2000, e Thanou, prata nos 100 metros na mesma Olimpíada, garantiram ser inocentes da acusação de doping. "Os atletas não foram informados sobre o exame surpresa, não sabiam que estavam sendo procurados por isso e não tinham intenção de faltar ao exame", defendeu o advogado deles, Grigoris Ioannidis, durante as investigações do caso, que duraram 2 meses.O caso vai agora para a Iaaf, que pode aceitar a decisão da Federação Grega ou rejeitá-la, suspendendo os dois atletas por 2 anos - dessa maneira, eles seriam julgados pelo Tribunal de Arbitragem do Esporte, na Suíça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.