Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Federação Internacional de Canoagem suspende duas atletas chinesas por doping

Shengfang Tian e Huan Men não poderão disputar competições por um ano, mas voltarão a tempo de competir na Olimpíada de Tóquio

Estadão Conteúdo

13 Dezembro 2018 | 12h50

A Federação Internacional de Canoagem (ICF, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira que duas atletas chinesas foram suspensas por dois anos após testarem positivo em exame antidoping. Shengfang Tian e Huan Men foram flagradas pelo uso do diurético triantereno em teste realizado durante treinamento na China em 24 de abril.

Ambas não poderão competir até 21 de maio de 2020, mas estarão liberadas para a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Seus treinadores receberam suspensão de um ano e foram multados em 10 mil yuans (cerca de R$ 5,6 mil) por serem considerados culpados, em responsabilidade solidária.

A ICF informou que os resultados obtidos por Tian e Men no Mundial de Canoagem, em maio, na Hungria, foram anulados. Tian ficou em oitavo lugar no K1 5.000 metros e fez parte da equipe feminina do K4 500m, que terminou em segundo na final B. Huan foi nona na final do C2 500m, ao lado da companheira de equipe Qi Li.

"Atletas que trapaceiam em nosso esporte não são bem-vindos e faremos o máximo para proteger os inocentes e limpos para competir em condições justas", disse o secretário-geral do ICF, Simon Toulson. "Os procedimentos de teste são muito mais rigorosos e mais atletas estão sendo alvos. Não há lugar para se esconder. A ICF tornou uma prioridade afastar fraudes do nosso esporte. Devemos à grande maioria dos nossos atletas que são limpos e trabalham tão duro e legalmente para competirem mais rápido."

 
Mais conteúdo sobre:
Canoagemdoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.