Federação Italiana pune 21 clubes e 52 jogadores

Nenhum time grande foi punido. O Albinoleffe, da 3ª Divisão, vai iniciar a próxima temporada com 15 pontos negativos

ROMA, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2012 | 03h07

A Federação Italiana de Futebol anunciou ontem a penalização de 21 clubes e 61 pessoas, sendo que 52 são jogadores ou ex-jogadores no mais recente caso de manipulação de resultados que abalou a reputação do esporte na Itália e colocou em dúvida a legitimidade dos principais torneios da modalidade no país.

Os clubes são os seguintes: Atalanta, Novara, Siena, AlbinoLeffe, Ancona, Ascoli, Avesa, Cremonese, Empoli, Frosinone, Grosseto, Livorno, Modena, Monza, Padova, Pescara, Piacenza, Ravenna, Reggina, Rimini, Sampdoria e Spezia.

O Pescara, que se sagrou campeão da Série B e estará na próxima temporada entre os principais times do país, iniciará a próxima edição do torneio nacional com menos dois pontos.

O Novara, mais novo integrante da Segunda Divisão, vai começar a sua disputa no próximo campeonato da Série B com quatro pontos negativos. O Empoli teve a penalização de apenas um ponto.

Também integrantes da Segunda Divisão, Reggina e Padova receberam punições de quatro e dois pontos, respectivamente. Já o Albinoleffe, da Terceira Divisão, terá descontados 15 pontos. O Piacenza, outro clube punido, iniciará a competição com 11 pontos negativos.

Curiosamente, as punições foram diminuindo conforme a importância dos times. Em 14.º lugar no último Campeonato Italiano, o Siena foi apenas multado em 50 mil (R$ 125 mil), mesma punição aplicada à Sampdoria, campeã na temporada 1990/1991, que vai voltar à elite do futebol italiano.

Maiores penas. Entre os jogadores, os que sofreram maiores punições foram Mario Cassano, Alessandro Zamperini, Luigi Sartor e Nicola Santoni, estes dois últimos já ex-atletas, que foram suspensos por cinco anos cada um.

Por causa do escândalo, mais de 30 pessoas foram presas na Itália no ano passado, quando as investigações começaram a ser realizadas pelas autoridades judiciais em Cremona, incluindo Cristiano Doni, ex-capitão da Atalanta, e Giuseppe Signori, ex-capitão da Lazio.

Doni, por sua vez, foi suspenso por três temporadas e a Atalanta, que havia subido para a elite da Itália, foi punida com a perda de seis pontos no último Campeonato Italiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.