Fernanda Vargas|Federação Paulista de Hipismo
Fernanda Vargas|Federação Paulista de Hipismo

Federação Paulista de Hipismo inova e cria o 'Paulistão'

Todas as categorias competiram em um mesmo concurso ao longo de três semanas

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

24 de julho de 2017 | 07h00

A Federação Paulista de Hipismo mudou o formato do torneio estadual neste ano e criou o seu “Paulistão”. Todas as categorias, envolvendo iniciantes, amadores e de alta performance, competiram em um mesmo concurso ao longo de três semanas. Foram 2.510 inscrições e 880 conjuntos saltando nas pistas de areia e grama do Clube Hípico de Santo Amaro entre os dias 22 de junho a 9 de julho.

Os objetivos do novo formato de disputa foram reunir toda a cadeia, dos competidores aos patrocinadores, e aumentar o interesse das pessoas pelo esporte, criando o principal evento do calendário hípico do Estado. “Foi uma experiência bem-sucedida que deverá ser mantida. Foram torneios emocionantes”, avalia Gabriel Khoury, presidente da federação paulista.

O número de inscritos no salto iniciante, uma das categorias da base do hipismo, triplicou, passando de 80 para 240 em relação a 2016. “O fomento à base é prioridade”, diz Khoury.

Outro destaque foi a interação dos jovens cavaleiros e amazonas e os seus ídolos. Nesse contexto, a disputa na categoria sênior envolveu até campeões olímpicos. Entre os concorrentes estavam Doda Miranda, dono de duas medalhas de bronze por equipes (Atlanta/1996 e Sidney/2000); Artemus de Almeida, prata no Concurso Completo de Equitação por equipes no Pan (Winnipeg/1999); Francisco Mesquita Musa, tetracampeão brasileiro e José Roberto Reynoso Filho, que esteve em Londres/2012. O campeão foi Artemus de Almeida, da Sociedade Hípica de Ribeirão Preto, ao lado da experiente Premix Una Bella 9 HV. O conjunto esteve na liderança do torneio desde o primeiro dia e terminou sem penalidades.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.