Sergei Karpukhin / Reuters
Sergei Karpukhin / Reuters

Federação russa de atletismo recusa recurso contra a suspensão por doping

Retirada está vinculada à decisão da Agência Mundial Antidoping de não suspender a agência de antidoping do país

Redação, Estadão Conteúdo

25 Janeiro 2019 | 12h41

A Federação Russa de Atletismo afirmou nesta sexta-feira que vai retirar o seu recurso contra a decisão da Iaaf (Associação Internacional de Federações de Atletismo, na sigla em inglês) para prolongar a sua suspensão pela evidência de doping patrocinado pelo Estado. A entidade interpôs recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), em setembro passado, contra a decisão da Iaaf para estender a punição, imposta em novembro de 2015.

A federação afirmou que a sua retirada do recurso estava vinculada à decisão da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) esta semana para não suspender a Agência de Antidoping da Rússia (Rusada, na sigla em russo).

Para que a Federação Russa de Atletismo seja reintegrada, é preciso que dados e amostras do laboratório russo sejam entregues. A Wada disse que toda a documentação foi adquirida. A federação também deve cobrir os custos legais e o custo das investigações da Iaaf.

"Estou convencido de que neste momento devemos nos concentrar esforços em negociações e comunicação com a IAAF em relação à reintegração da federação russa de atletismo e não desperdiçar tempo e esforço em processos judiciais", disse Dmitry Shlyakhtin, presidente da federação russa de atletismo, em comunicado oficial.

Embora a federação permaneça suspensa, vários atletas, incluindo Sergey Shubenkov, campeão mundial de 2015 nos 110 metros com barreiras, foram liberados para competir internacionalmente como neutros depois de demonstrar que estão treinando livres de doping. A próxima reunião do conselho da Iaaf está marcada para os dias 10 e 11 de março, em Doha, no Catar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.