Federer joga com o apoio de Sampras

Suíço faz a partida de abertura do Grand Slam inglês

LONDRES, O Estadao de S.Paulo

22 de junho de 2009 | 00h00

Roger Federer começa hoje sua batalha em busca de seu 15º título em Wimbledon, na Inglaterra. E se por um lado o tenista de 27 anos carrega a expectativa de bater o recorde de conquistas da competição, por outro não precisará enfrentar seu maior rival, o espanhol Rafael Nadal, que não competirá no gramado por causa de uma lesão e, de quebra, contará com a torcida de Pete Sampras, que atualmente divide o recorde do torneio com o suíço.Com a saída do oponente, que interrompeu o seu reinado de cinco anos no torneio britânico no ano passado, Federer terá a honra de abrir a competição. Mas, para ele, o espanhol fará falta. "Fico triste porque Rafa não jogará. Sei que não poderemos repetir a final espetacular que disputamos no ano passado. E, como atleta, isso também me desaponta", disse o suíço. O tenista também não se diz tão confortável em abrir o torneio de Wimbledon. "Eu não deveria ter o privilégio este ano porque Rafa o merece, mas obviamente estou muito honrado que tenham me escolhido novamente", comentou.Empolgado com a possibilidade de fazer uma grande competição, o suíço disse contar com a importante torcida do tenista americano Pete Sampras, que diz não se importar de perder o recorde. "Ele está feliz por mim e desde Roland Garros procuramos conversar. Há uma chance de ele vir ver a final se eu estiver na partida. Peter realmente não é rancoroso", contou. Segundo o suíço, desde que começou a jogar, um de seus sonhos foi conseguir conquistar uma sequência de títulos em Wimbledon.Federer também afirma que está em sua melhor forma. Depois das partidas na França, ele chegou a declarar que estava esgotado. "Eu coloquei todas as minhas forças na competição por quase três semanas. Comia e respirava tênis. Não é a coisa mais divertida da vida, mas às vezes é preciso desviar todas as atenções em um único objetivo." Após uma semana de folga, ele se diz refeito. "Fui para a casa e comemorei com minha família e amigos. Isso é muito importante para manter a mente a equilibrada. Antes, logo após uma vitória, eu corria para outro torneio. Hoje vejo a importância de saber celebrar as conquistas."A primeira partida de Federer será contra o único asiático da chave, Lu Yen-hsun, de Taiwan. Muitos britânicos já apostam em uma final, em 5 de julho, entre Federer e o escocês Andy Murray, que também já foi derrotado por Rafael Nadal. A estreia de Murray será contra o americano Robert Kendrick. Há 73 anos nenhum tenista da Grã-Bretanha ganha o torneio de Wimbledon. Quem faturar o primeiro lugar levará um prêmio de 850 mil libras, o equivalente a quase R$ 3 milhões.NÚMEROS12 milhões e 550 mil libras serão distribuídas aos campeões 850 mil libras ganharão os primeiros colocados individuais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.