Alberto Estevez/Efe
Alberto Estevez/Efe

Federer lamenta ausência de Nadal e vê Murray favorito

Número 1 admitiu que jogará pressionado em Londres após conquistar o título de Wimbledon

WILSON BALDINI JR., Agência Estado

26 de julho de 2012 | 15h28

O suíço Roger Federer chega aos Jogos de Londres embalado pela conquista de Wimbledon e sob a condição de número 1 do mundo, mas rejeitou nesta quinta-feira a condição de favorito ao título do torneio de tênis. Além disso, lamentou a ausência do espanhol Rafael Nadal, contundido, na Olimpíada. Ele também jogou a condição de principal candidato ao título para o britânico Andy Murray.

"O fato do Nadal não participar dos Jogos é uma pena, um desfalque. Se trata de um grande jogador e uma grande atração. Os Jogos Olímpicos perdem sem ele", afirmou, sobre o rival espanhol, que desistiu de atuar em Londres em razão de uma tendinite no joelho.

Apesar de não querer assumir a condição de favorito, Federer admitiu que jogará pressionado em Londres após conquistar o título de Wimbledon. "Vai ser uma pressão muito grande jogar aqui logo após Wimbledon. Para mim, o Murray entra como favorito", disse.

Federer disputa pela quarta vez a Olimpíada, mas nunca conquistou uma medalha no torneio. Já em duplas, foi campeão em parceria com Stanilas Wawrinka nos Jogos de 2008, em Pequim. O suíço lembrou que em 2004 também disputou a Olimpíada, em Atenas, após vencer Wimbledon e não teve sucesso.

"Agora é uma situação semelhante, mas os jogadores são outros e será uma situação diferente", disse. "Atenas foi uma decepção e agora acha que venho em condições de lutar pelo ouro", completou o número 1 do mundo, que estreará na chave de simples de Londres contra o colombiano Alejandro Falla.

O suíço também revelou nesta quinta-feira que deseja disputar os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, mas não sabe se terá condições físicas para isso. "Vai depender da minha situação familiar, do corpo e da mente. A mente quer muito, mas vai depender do corpo para jogar no Rio".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.