Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Federer se descuida, leva susto, mas vence

Número 2 do mundo tinha boa vantagem, mas deixou Gilles Simon empatar e só conseguiu a vitória após 3h13min

, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2011 | 00h00

O que parecia impossível de acontecer antes da semifinal do Australian Open quase ocorreu logo na segunda rodada: um tropeço de Roger Federer, atual campeão do torneio. O suíço penou nas mãos de Gilles Simon. Por um bom tempo, ficou sem respostas ao jogo do francês - atual 34.º do mundo, ex-top 10. Mas verdadeiros campeões encontram brechas e transformam fracassos iminentes em façanhas retumbantes com mais frequência que os demais mortais. Foi o que Federer fez ao vencer no quinto set: 6/2, 6/3, 4/6, 4/6 e 6/3, em 3h13 de partida.

O resultado deixou aliviada metade dos que torcem por um incrível reencontro com Rafael Nadal na decisão do torneio - o espanhol busca o que se está chamando de "Rafa Slam", quatro títulos de Grand Slam consecutivos, embora o Australian Open seja em outro ano. O suíço terá, em tese, um desafio mais fácil na próxima rodada: o belga Xavier Malisse, 45.º do mundo, uma antiga promessa da modalidade que nunca se concretizou completamente.

"Sempre fui positivo e isso me salvou. Tive sorte. Estou muito satisfeito por seguir adiante", disse Federer, que nunca havia conseguido vencer Simon antes - perdera duas vezes antes do encontro de ontem em Melbourne. "Não joguei mal no terceiro e quarto sets, mas Gilles veio com tudo. É um grande jogador, as partidas contra ele não são fáceis. Tomara que não precise enfrentá-lo outra vez", brincou o suíço, aliviado pela vitória.

Por duas parciais e meia, Federer sentiu que sua boa fase - não havia perdido sets ainda em 2011 - poderia estar com os minutos contados. O suíço não soube lidar com a pressão que o francês fazia sobre seu backhand, o que abria uma porta para ser severamente atacado na direita. Chegou a gritar consigo mesmo e olhar para o camarote onde estavam seu técnico e sua mulher com fisionomia de quem não sabia o que fazer. Parecia que a escrita de jamais perder jogos, em Grand Slam, em que estivesse com dois sets acima no placar terminaria logo na segunda rodada do Australian Open.

"Houve momentos em que me senti muito pressionado", reconheceu Federer. "Precisei de paciência para esperar que Gilles sentisse um pouco o cansaço ou perdesse a intensidade, que foi o que ocorreu no quinto set." Na parcial decisiva, Simon continuou com a mesma tática. Mas cometeu dois erros não forçados durante seu serviço e cedeu a quebra crucial para o suíço.

Djokovic e Verdasco sofrem. Outro favorito teve sua dose de sofrimento na rodada. Novak Djokovic, 3.º do mundo, perdeu o primeiro set para Ivan Dodig e quase deixou o segundo escapar, mas virou: 5/7, 7/6 (10/8), 6/0 e 6/2. Verdasco passou por drama maior. Perdeu os dois primeiros sets para Janko Tipsarevic, enfrentou match point, mas o sérvio sucumbiu aos nervos e perdeu: 2/6, 4/6, 6/4, 7/6 (7/0) e 6/0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.