José Patrício/AE
José Patrício/AE

Felipão cada vez mais insatisfeito

Apesar de infeliz com Palmeiras, treinador está garantido no cargo pelo menos até dezembro

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2011 | 03h07

SÃO PAULO - O novo tropeço do Palmeiras no Campeonato Brasileiro não vai alterar os planos da diretoria alviverde. Demitir Luiz Felipe Scolari não passa pela cabeça do presidente Arnaldo Tirone, e o treinador não vai pedir para sair. Mas já não há dúvidas no clube que Felipão está cada vez mais desanimado no comando da equipe.

O empate com o Atlético-GO no domingo, com dois jogadores a mais em campo, foi o novo baque sofrido por Felipão. Ele mesmo admite que já não sabe o que fazer para melhorar. "Acho que está faltando uma química qualquer", falou, após o 1 a 1 de Goiânia. "Somos pagos para fazer o melhor e não estamos conseguindo", declarou, admitindo culpa na má fase do time.

O clima depois da partida foi de desolação no Palmeiras e, na chegada do elenco a São Paulo, o que se viu foram jogadores buscando a explicação. Com segurança reforçada, o grupo ao menos se livrou das críticas ontem - nenhum torcedor apareceu para protestar no aeroporto. "A gente esperava alguma coisa aqui", contou o goleiro Deola, aliviado. "Estou surpreso que não há ninguém."

Felipão chegou calado, sem dar entrevistas, como já é de costume. A partir de hoje, ele começa a preparar a equipe que enfrenta o América-MG no sábado, no Canindé. E vai ter uma longa conversa com o grupo antes do início do treino.

A cada tropeço do time, Felipão dá a entender que não vai cumprir seu contrato até o dezembro de 2012. O fato de ter pedido para livrar o clube da multa, caso uma das partes quisesse romper o contrato, é visto por muitos conselheiros como maior sinal de que o treinador quer sair.

"Ele não vai embora porque tem a multa. Ele só sai do Palmeiras se for por vontade própria, se ele insistir muito", disse Tirone à rádio Estadão ESPN. "Ele é nosso técnico, vem fazendo um bom trabalho e não vamos mexer num planejamento que vem dando certo."

No domingo, Felipão havia dito que decidiria seu futuro nesta semana. Mas, apesar de infeliz, vai continuar no clube. Tirone só vai mexer no time e na estrutura da diretoria/comissão em dezembro - Galeano, por exemplo, deve ser mandado embora e até o treinador pode sair, caso a vaga na Libertadores não chegue.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.