Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Felipão dispensa multa se for demitido

Treinador entrega novo contrato ao presidente do Palmeiras deixando o clube livre para definir a sua saída sem nenhum ônus financeiro

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2011 | 00h00

Luiz Felipe Scolari cumpriu com a palavra e abriu mão de multa caso o Palmeiras queira demiti-lo. O treinador não corre nenhum risco no momento, mas deixa claro não ter a menor preocupação, sob o ponto de vista financeiro, em deixar o clube. O presidente Arnaldo Tirone afirma que a possibilidade de Felipão sair é zero.

"Quero deixar o Palmeiras livre para fazer o que bem entender comigo. O contrato está assinado, pelo menos da minha parte. Entreguei para ele (Tirone), mas o presidente diz que quer que eu fique até o fim. Por via das dúvidas, o Palmeiras pode fazer uso do contrato quando quiser", disse Felipão.

Tirone não vai usar o novo documento assinado por Felipão por dois motivos: o principal é financeiro. De acordo com o contrato vigente, se o treinador pedir demissão terá de pagar cerca de R$ 2,67 milhões de multa - esta imposição dificultaria a saída do técnico.

Outro motivo é o fato de o treinador ser um verdadeiro para-raio no clube. Por seu respeito perante a torcida e sua forma de ser, conseguiu lidar bem com problemas que poderiam ter atingido níveis mais críticos se fossem outros técnicos, como na relação com Valdivia.

Felipão acha o chileno bom jogador e sempre faz questão de elogiá-lo. "Ele tem saída de bola, qualidade no passe e organização. Ele ficando é ótimo."

Ao mesmo tempo se irrita com o fato de não poder contar tanto com o meia. Ele sabe que a culpa não é tanto de Valdivia, por causa das lesões e convocações para a seleção chilena, mas o fato o incomoda.

O técnico não quer mais falar sobre assuntos fora do futebol, como o que pode acarretar financeiramente a permanência do chileno, nem sobre o aumento de 30% que ele teve para ficar no clube. Tirone entrou em contato com o Estado para negar a informação de que tenha dado aumento salarial ao jogador e divulgou nota oficial no site do Palmeiras:

"Em nenhum momento houve conversa sobre aumento salarial com o atleta Valdivia. Conversamos apenas sobre sua permanência no Palmeiras. Qualquer outra informação vem de fontes que querem tumultuar o ambiente dentro do elenco", declarou o presidente, mas reportagem confirma o aumento.

Nos tribunais. Mais uma vez Felipão vai encarar o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O procurador Paulo Schmitt denunciou o treinador no artigo 228 (exercer cargo ou função durante o período em que estiver suspenso por decisão da Justiça Desportiva) por ter ido ao vestiário no jogo contra o Botafogo, quando estava suspenso. Se condenado, pode pegar de 90 a 180 dias de suspensão.

O treinador usou da ironia para se defender. "Poucos dias atrás ele (Schmitt) disse que pela jurisdição não tinha como me denunciar. Talvez agora procuraram itens e acharam alguma coisa para me enquadrar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.