Felipão diz que não foi procurado pela CBF

Sem clube, técnico campeão do mundo em 2002 evitou falar sobre as chances de substituir Mano Menezes

FARROUPILHA , O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2012 | 02h01

Um dos nomes mais cotados para assumir a seleção brasileira, após a saída de Mano Menezes, Luiz Felipe Scolari negou, ontem, ter sido procurado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para tratar do assunto. Enquanto deixava uma missa de inauguração da nova pintura do Santuário de Caravaggio, na cidade de Farroupilha, na serra gaúcha, Felipão evitou fazer qualquer comentário sobre o futuro da seleção.

"Se não tenho contato, não tenho contato. É um assunto que não vou discutir. Não vou comentar o que não tenho e o que não sei", afirmou ao Estado.

Devoto de Nossa Senhora de Caravaggio, Felipão foi padrinho da campanha que revitalizou a igreja. Ao lado da imagem da santa, o técnico foi a principal estrela da cerimônia, que atraiu centenas de pessoas na manhã de ontem. Ele assistiu à missa junto com o presidente eleito do Grêmio, Fábio Koff.

Questionado sobre a força que seu nome vem tomando ao lado do de Muricy Ramalho e do de Tite para ser alçado novamente ao comando da seleção, ele disse: "Isso mostra mais uma vez que nós, que trabalhamos em futebol e fazemos opções, muitas vezes a opção é respeitada e bem vista com o passar do tempo".

Enquete feita no estadão.com aponta que 36% dos internautas querem o treinador de volta à seleção. Ele lidera a votação, que também conta com os nomes de Muricy Ramalho, Tite, Abel Braga e Vanderlei Luxemburgo. Um possível retorno de Felipão para a seleção abriria espaço para Carlos Alberto Parreira assumir o posto de coordenador técnico.

A previsão inicial é que o nome do novo técnico seja revelado pela CBF apenas no início de janeiro, mas é possível que o anúncio seja antecipado. A partir de quarta-feira, a Fifa vai reunir em São Paulo as seleções classificadas para a Copa das Confederações de 2013 para o sorteio dos jogos do torneio. O Brasil é o único time que não será representado pelo seu técnico no evento.

Mascote. Foi anunciado ontem à noite o nome da mascote da Copa do Mundo de 2014. Após votação aberta em setembro e que recebeu mais de 1,7 milhão de votos, o tatu-bola foi batizado de Fuleco por 48% dos internautas, seguido de Zuzeco (31%) e Amijubi (21%). Fuleco significa, segundo a Fifa, a mistura das palavras futebol e ecologia.

Pôsteres. Os cartazes das 12 cidades-sede da Copa de 2014 foram divulgados ontem. A imagem de São Paulo, antecipada pelo Estado, foi apresentada no Pátio do Colégio, no centro da capital, em uma bandeira de 70m². O cartaz traz aspectos importantes da cidade como a diversidade e a grandeza da metrópole e foi inspirado no conceito "viva São Paulo, viva o futebol".

Várias cidades optaram por usar as partidas da 37ª rodada do Campeonato Brasileiro para divulgarem seus pôsteres. Foi o caso de Salvador, por exemplo. Antes de a bola rolar para Bahia e Náutico, foi exibida uma enorme bandeira no centro do gramado do estádio de Pituaçu. A imagem destacava o Elevador Lacerda, usado como trave.

O mesmo aconteceu em Porto Alegre antes do jogo entre Internacional e Portuguesa. Os jogadores também entraram em campo vestindo uma camiseta com o desenho eleito após concurso.

A Ilha do Retiro foi o palco para o lançamento do pôster de Recife antes da partida entre Sport e Fluminense. A imagem destaca um homem dançando frevo e chutando uma bola.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.