Felipão é expulso novamente. E fala em perseguição

Luiz Felipe Scolari não entende o que acontece com a arbitragem. O treinador, que já havia sido expulso na vitória sobre o Atlético-PR, em agosto, foi novamente mandado embora ontem pelo árbitro José Henrique de Carvalho. O lance aconteceu ainda no primeiro tempo, após uma falta cobrada por Marcos Assunção - o técnico reclamou que a barreira são-paulina não respeitou os 11 metros de distância.

Daniel Akstein Batista, Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2010 | 00h00

"Pessoas viram que não aconteceu nada", defendeu-se Felipão. Segundo algumas testemunhas, o treinador falou para o atacante Tadeu dizer ao árbitro que até uma criança de 5 anos sabe contar. E aí veio a expulsão. Já outras pessoas ouviram xingamentos e palavrões. "Vocês da imprensa têm o dever de informar o que acontece com o meu time, mas está na hora de alguém levantar o microfone e dizer que estou sendo perseguido. E muito", declarou. "Mesmo que eu olhe só para o lado, já estou errado. Quero saber quando árbitros e bandeiras vão ser solicitados para depor. Podemos fazer processo contra eles? Será que existe pena para eles ou é só do lado de cá?", indagou.

Felipão está cada vez mais irritado. "Se tiver que ver tudo isso passivamente, é melhor eu ir embora."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.