Felipão, em nome da amizade, gostaria de ''poupar'' Tite

Técnico palmeirense fala que preferiria até perder o clássico caso isso garantisse emprego do treinador adversário

Daniel Akstein Batista, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2011 | 00h00

Enfrentar um rival em crise é sempre bom, mas Luiz Felipe Scolari não quer carregar consigo a "culpa" de derrubar um amigo. O treinador sabe que se o Palmeiras passar pelo Corinthians amanhã, no Pacaembu, Tite corre sério risco de perder o cargo. E, como um cavalheiro, Felipão honra sua categoria.

"Se me falassem que ganhando eu tiraria o Tite, eu preferia perder o jogo", disse o palmeirense ontem. "A culpa não é só dele, todos têm culpa do que aconteceu e deviam assumir a sua parte", comentou sobre a eliminação alvinegra na Taça Libertadores para o colombiano Tolima.

Felipão imagina que o Corinthians não levará a campo amanhã os problemas acarretados após o tropeço na Colômbia, e lembra que algo parecido ocorreu com o Palmeiras após a derrota para o Goiás na Copa Sul-Americana do ano passado. "Quando aconteceu (a eliminação), procuramos alternativas para o futuro. E com o Corinthians é a mesma coisa."

Líder isolado do Campeonato Paulista, o Palmeiras busca a sua sexta vitória consecutiva. O Pacaembu deverá estar lotado (15 dos 25 mil ingressos disponibilizados aos palmeirenses foram vendidos até ontem) e Felipão, que completa amanhã 300 jogos à frente do time alviverde, comemora a boa fase. Ele, porém, quer mais.

"Já avisei a diretoria que, com mais dois reforços, teremos um time para brigar de igual para igual com todo mundo", explicou. "Eu já tenho uma equipe que mais ou menos eu montei", disse, para justificar o porquê de a equipe de 2010 não ter obtido sucesso e a de 2011, com poucas mudanças, ainda estar invicta.

Mas Felipão enumera outros fatores e diz que se fosse outra competição talvez o Palmeiras estivesse com mais dificuldades. "Temos de ter calma, porque é o Paulista. Se a gente tiver todo esse nível em uma outra competição, aí sim pode-se dizer que a equipe está muito bem. Por enquanto, é preciso ter os pés no chão."

Enquanto o Corinthians sofre com desfalques e não contará com Roberto Carlos, Ronaldo e Dentinho, Felipão terá no Pacaembu a formação quase ideal. Marcos Assunção, Kleber, Danilo e Marcos voltam à equipe. Só Lincoln e Valdivia seguem fora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.