Felipão perde a paciência e faz mudanças radicais

Treinador vai mexer em todos os setores do time para a partida contra o Vasco, amanhã, pelo Campeonato Brasileiro

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2011 | 00h00

Acabou a paciência do técnico Luiz Felipe Scolari. Ontem, na reapresentação da equipe após a atuação apática na derrota por 2 a 0 para o Vasco pela Copa Sul-Americana, ele fez uma reunião de 45 minutos com todo o elenco, cobrando explicações. E já avisou que vai promover pelo menos quatro mudanças diante dos cariocas, amanhã, desta vez pelo Brasileiro.

A irritação atinge todos os setores da equipe. Na defesa, ele não aguenta mais ver a equipe levar gols pelo alto. No meio, a falta de criatividade também incomoda. Assim como a baixa produção do ataque.

Para tentar resolver o problema da defesa, Felipão deve sacar Henrique, que está sem ritmo e nem de longe lembra o zagueiro campeão paulista de 2008, em sua primeira passagem. Maurício Ramos deve ser o substituto. No meio, Assunção, suspenso, dará lugar a Chico. Além de reforçar a pegada no meio, o time ganha em altura, para combater o bombardeio aéreo. Chico tem 1,86m contra 1,78m de Assunção.

Com Chico, Felipão ainda ganha a opção de, se necessário, fazer a equipe atuar no 3-5-2. E, para completar as novidades, Deola entra no lugar de Marcos, poupado, e Valdivia, que estava na seleção, entra na vaga de Patrik.

Chance para Dinei. Maikon Leite também tirou a paciência de Felipão e deve perder lugar no time. Dinei, que entrou bem contra o Vasco, garante dar conta do recado. "Estou trabalhando forte e se, precisar, estou pronto."

Ontem, o atacante Kleber completou 28 anos. "Por causa da reunião que tivemos, nem tinha clima para brincar. Vamos ver se amanhã (hoje) a gente consegue dar umas ovadas nele", disse Dinei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.