Felipe França chora no pódio e agradece a técnico

O nadador brasileiro Felipe França não se conteve no pódio do Foro Itálico em Roma, ao receber a medalha de prata dos 50 metros peito no Mundial de Esportes Aquáticos: caiu no choro e se ajoelhou ao receber o prêmio. Depois, falou com dificuldade sobre seus sentimentos.

AE, Agencia Estado

29 de julho de 2009 | 17h37

"Foi uma disputa muito difícil, estou gratificado por esta medalha. Agradeço a Jesus Cristo, em primeiro lugar, e ao meu treinador Arilson Silva por esta conquista. Ainda estou meio abalado, me sentindo pesado, acho que vou chorar novamente", contou o nadador.

Felipe conseguiu baixar seu recorde pessoal em 13 centésimos, agora em 26s76, novo recorde sul-americano - a marca anterior foi recorde mundial até a semifinal, quando foi batida pelo vencedor da prova desta quarta, o sul-africano Cameron van der Burgh, que derrubou a marca novamente na final, agora com 26s67.

Arilson Silva, que também chorou muito nas arquibancadas, afirmou que seu pupilo está pronto para continuar brilhando e lutando pelos primeiros lugares. "Como a prova dos 50 metros peito não é olímpica, queremos agora os 100 metros e talvez até os 200 metros", contou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.