Satiro Sodré/Rededoesporte.gov
Satiro Sodré/Rededoesporte.gov

Felipe Lima e João Gomes faturam prata e bronze nos 50m peito no Mundial

Nadadores brasileiros conseguem feito inédito na competição realizada em Gwangju, na Coreia do Sul

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2019 | 09h28

Em dobradinha inédita para o Brasil, os nadadores Felipe Lima e João Gomes Junior brilharam nesta quarta-feira no Mundial de Esportes Aquáticos, na Coreia do Sul. Eles conquistaram as medalhas de prata e bronze nos 50 metros peito, em Gwangju. Foi a primeira vez que o País registrou uma dobradinha no pódio em uma final de Mundial de piscina longa (50 metros). Na Coreia, antes desse feito, Ana Marcela já havia subido ao pódio duas vezes, assim com Nicholas Santos.

Felipe Lima chegou à frente do compatriota ao registrar o tempo 26s66, contra 26s69 de João Gomes. O campeão mundial foi o britânico Adam Peaty, que nadou em 26s06. O vencedor já era o grande favorito da prova. Antes, vencera a disputa dos 100m peito, com direito a recorde mundial na fase eliminatória. Em uma disputa apertada, Peaty dominou do começo ao fim. Como de costume, em distância de 50m, a prova foi decidida na batida de mão. Logo após, Lima cumprimentou o britânico e nadou até a raia do compatriota para um abraço de comemoração. Era o Brasil no pódio.  

Em comparação aos resultados das semifinais, Lima piorou ligeiramente o seu tempo. Antes ele anotara 26s62. João Gomes, que marcara 26s84, mostrou evolução. E Peaty foi ainda melhor do que os 26s11 registrados na fase anterior.

Mais cedo, o Brasil garantiu dois nadadores na final da tradicional prova dos 100 metros: Marcelo Chierighini e Breno Correia. Ambos avançaram ao competir na última série, ao lado do norte-americano Caeleb Dressel, principal favorito ao título mundial. Ele anotou o melhor tempo das semifinais, com 47s35.

Chierighini veio logo atrás, com 47s76. O brasileiro chegou a virar em primeiro lugar, mas bateu em segundo no fim. Correia, em seu primeiro Mundial na carreira, obteve o quarto tempo da série, com 48s33, melhorou sua marca em comparação à eliminatória, quando fez a prova em 48s39. Foi, no total, o oitavo colocado desta fase. Chierighini melhorou sua marca. Antes fizera 47s95. A final está marcada para a manhã desta quinta-feira (horário de Brasília), a partir das 8 horas. O SporTV 2 mostra ao vivo.

 

"Como eu disse depois da eliminatória, o nível está muito forte. Tem o último medalhista dos 100m livre, tem o Caeleb, tem a gente também. Será a primeira final do Breno, gostaria de parabenizá-lo. Desde 2009, não tínhamos dois brasileiros em uma final de 100m", destacou o nadador. 

 

PRIMEIRA FINAL

Breno também comemorou a vaga em sua primeira final de Mundial. "Esperava baixar um pouco o tempo em relação à eliminatória. Queria quebrar a barreira do 47s. Infelizmente, não veio agora. Quem sabe, amanhã (quinta na final). Estou muito satisfeito por ter mais uma oportunidade de baixar o tempo, nadar uma final. Acredito que a prova está bem aberta", comentou Breno.

Nos 50 metros costas, Etiene Medeiros também se destacou nas semifinais. Ela garantiu a vaga na decisão da medalha ao terminar a disputa com o segundo melhor tempo, com 27s69. Ficou atrás somente da norte-americana Kathleen Baker, com 27s62. Atual campeã mundial da prova, a brasileira largou mal em sua série, mas fez a diferença na chegada. A seu favor na final, Etiene não terá a concorrência da chinesa Fu Yuanhui, campeã mundial em Kazan, em 2015, e prata em Budapeste, há dois anos. Ela obteve apenas o nono lugar, com 27s84, e ficou fora da final. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.