Felipe Massa comemora volta ao pódio como se fosse vitória

Brasileiro da Ferrari chega em terceiro lugar, após excelente corrida

Livio Oricchio, NÜRBURG, O Estadao de S.Paulo

13 de julho de 2009 | 00h00

"Eu já estava com saudades de chegar no pódio, estar entre os três primeiros. Ano passado estivemos aqui tantas vezes...?? A declaração, com um misto de alívio e euforia, dá a noção exata do quanto o terceiro lugar ontem, em Nurburgring, representou para Felipe Massa. O brasileiro da Ferrari comemorou como se tivesse vencido o GP da Alemanha. Foi o seu primeiro pódio na temporada, a quinta prova seguida nos pontos. Massa ocupa o quinto lugar no campeonato, com 22 pontos, atrás apenas dos pilotos da Brawn GP e Red Bull, as equipes mais eficientes este ano. O brasileiro está, de certa forma, satisfeito. "Eu venho logo atrás das duas equipes que estão em outro planeta. Tivemos um começo difícil e estamos conseguindo nos recuperar. Será importante para a Ferrari ultrapassar a Toyota e terminar o Mundial de Construtores em terceiro.??A Brawn lidera com 112 pontos, seguida pela Red Bull, 92,5 e Toyota, 34,5. A Ferrari está em quarto, com 32 pontos."A corrida foi difícil porque os pneus de desgastaram muito no começo. Larguei bem, o que foi decisivo??, analisou Massa. Ele era o oitavo no grid, estava com o carro pesado, tanto que fez a primeira parada apenas na 25.ª volta, cinco depois do vencedor, por exemplo, Mark Webber, da Red Bull.Na primeira volta já estava em quarto, mas acabou ultrapassado na passagem seguinte por Jenson Button, da Brawn GP. "Consegui segurar atrás de mim o Sebastian Vettel (também da Red Bull, segundo no final), mas estava muito complicado.?? O que o animou foi que os dois tinham ritmo semelhante. "Esse resultado estimula nossa equipe a melhorar ainda mais o carro e, principalmente, produzir um melhor para o ano que vem.??Massa tem se notabilizado este ano por realizar belíssimos trabalhos mesmo dispondo de um modelo limitado a exemplo do F60 da Ferrari, como ontem e no GP anterior, na Grã-Bretanha, quando largou em 11.º e acabou em quarto. Disse estar otimista para a prova de Budapeste, dia 26. "Ano passado eu praticamente ganhei lá, perdei a menos de três voltas do final (quebrou o motor). Acho que podemos ser mais rápidos na Hungria.Nelsinho Piquet, da Renault, deixou o circuito de Nurburgring logo depois da prova. Estava irritado por ter largado com pneus duros, por imposição do time, enquanto a maioria usou os moles. Largou em décimo e acabou em 13.º. O companheiro, Fernando Alonso, com um carro mais veloz, saiu em 12.º e foi sétimo. A Renault pode substituir Nelsinho por Romain Grosjean, piloto nascido na Suíça, mas que compete no automobilismo como francês, já na próxima etapa do Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.