Felipe Massa fica frustrado por não vencer GP do Brasil

Ele teve de tirar o pé para ajudar Raikkonen

Glenda Carqueijo, O Estadao de S.Paulo

22 de outubro de 2007 | 00h00

Felipe Massa não escondeu uma ponta de frustração por não ter vencido pelo segundo ano consecutivo o GP do Brasil. Fora da briga pelo título, o piloto, que havia largado na pole, foi obrigado a tirar o pé e abrir passagem para o finlandês Kimi Raikkonen, a 18 voltas do fim da corrida. ''''Infelizmente cheguei aqui sem condições de lutar pelo título. Mas estou feliz por ter ajudado o Kimi e a equipe'''', afirmou Massa. No pódio, o brasileiro não abriu um sorriso sequer.Quarto colocado no campeonato, Massa chegou à última corrida do ano sem pressão por resultado. Mas estava consciente que tinha papel fundamental para ajudar Kimi a ser campeão. Na primeira curva, diminuiu a velocidade, para segurar Lewis Hamilton, da McLaren. A estratégia ajudou Raikkonen a ultrapassar o inglês. Massa não tinha mais nada a fazer a não ser segurar a ponta e seguir ordens da escuderia italiana. ''''Gostaria de estar aqui lutando pelo título. Espero que um dia possa ser eu.''''Com contrato renovado até 2010, Massa não teme que o jogo de equipe possa atrapalhar seu futuro. ''''Corri para ajudar a Ferrari, que sempre me deu suporte'''', disse o piloto, emocionado. Também acredita que o tratamento dos dois pilotos será o mesmo. ''''Não vai mudar nada. A confiança na Ferrari será a mesma'''', acrescentou.Nicolas Todt, empresário de Massa, defendeu o piloto e garantiu que não haverá diferença. ''''É estúpido pensar que Felipe será o segundo piloto. Ele só não disputou o título porque teve problemas no carro durante a temporada'''', afirmou Todt.A família de Massa ficou orgulhosa com o seu desempenho. ''''O resultado do Kimi foi conquistado com a ajuda dele (Felipe). O título foi merecido, ainda mais porque esse ano teve o caso de espionagem. A Ferrari ganhou na pista'''', analisou Luis Antonio Massa, o Titônio.Antes da prova, o mais tranqüilo era Eduardo Massa, irmão de Felipe, de 21 anos, que é estudante de marketing. ''''Fico mais nervoso quando o Felipe corre de kart'''', explicou Dudu.BARRICHELLORubens Barrichello, da equipe Honda, terminou a temporada sem marcar um ponto sequer. Após largar da 11ª posição, ele abandonou a prova na 41ª volta, com problemas no carro. Na segunda parada no box, o motor de seu carro apresentou problemas, soltando fumaça. ''''Foi bem frustrante, estou decepcionado'''', afirmou, abatido, o pilooto brasileiro.Desde que estreou na categoria, em 1993, com a Jordan, ele jamais havia terminado um campeonato sem pontuar. Mas se conformou com o desempenho em Interlagos, em tom de ironia: ''''O motor ia quebrar de qualquer jeito.''''O ''''consolo'''''''' para Rubinho é que ele foi eleito o piloto mais simpático da F-1 pelo pessoal da equipe Red Bull.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.