Felipe Melo ignora promessa e dá mais um vexame

Seis meses depois da expulsão na Copa, volante agride adversário na Itália, recebe o vermelho e afunda sua equipe, a Juve

, O Estado de S.Paulo

07 de janeiro de 2011 | 00h00

Felipe Melo foi eleito pelo torcedor brasileiro e por boa parte de comentaristas e treinadores o principal responsável pela eliminação do Brasil na Copa do Mundo. A expulsão no segundo tempo da derrota por 2 a 1 para a Holanda foi decisiva para a eliminação da seleção de Dunga nas quartas de final na África do Sul. O volante não admitiu carregar a culpa, mas prometeu mudar o comportamento. Seis meses depois, deu vexame parecido.

Ontem, pelo Campeonato Italiano, após ter trombado com Massimo Paci, do Parma, mostrou desequilíbrio e acertou a cabeça do adversário com a sola da chuteira. Recebeu cartão vermelho, claro. O pior: o jogo estava no início - 17 minutos do primeiro tempo. E sua equipe, a Juventus, que até tinha chance de fechar a 18.ª rodada na vice-liderança, atrás apenas do Milan - que venceu o Cagliari por 1 a 0-, foi impiedosamente goleada pelo modesto Parma por 4 a 1, em pleno Estádio Olímpico de Turim.

A imprensa italiana não perdoou o carioca de 27 anos e o destacou como o "protagonista negativo" da rodada. Os torcedores o vaiaram na saída de campo. Sua expulsão, afinal, teve papel fundamental na derrota da Juve, em partida em que os 3 pontos eram considerados certos. O Parma, agora com 22 pontos, faz fraca campanha e luta mais para se afastar da zona de rebaixamento do que por vaga na Liga Europa da próxima temporada. Foi uma derrota para balançar a Juventus, que soma 31.

Leonardo estreia com vitória. O treinador dirigiu, ontem, a Inter de Milão pela primeira vez e se deu bem. A equipe bateu o Napoli por 3 a 1.

PARA LEMBRAR

Depois da África, garantia estar mais calmo

Luigi del Neri, técnico da Juventus, mostrou toda a irritação com Felipe Melo depois da derrota da Juventus para o Parma. "Ele (Felipe) deve ter mais calma, sua expulsão afetou nosso time", afirmou. "O que ele fez não é desculpável. Essas são reações instintivas e infelizes. Eu espero que ele possa ser mais forte e melhor, porque para nós ele é um jogador muito importante."

Felipe Melo passou algum tempo sem conversar com a imprensa depois da expulsão que acabou com as possibilidades de o Brasil vencer a Holanda na Copa do Mundo do ano passado. Expulsão, aliás, que não tinha nenhuma justificativa. Sua agressão ao holandês Robben foi estúpida, num lance já paralisado, longe da área, sem nenhum risco para a defesa brasileira. Depois resolveu se desculpar com o torcedor e prometeu mudar. "Eu posso ter perdido a cabeça naquela vontade de querer ajudar", disse, em 2010. "Estou mais calmo, vou ter comportamento diferente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.