Fernandinho classifica o São Paulo

Substituto de Washington, o pivô da crise no clube, faz o gol da vitória sobre o Once Caldas, que põe time nas oitavas de final

Giuliander Carpes, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

A crise que insistia em entrar no Morumbi foi afastada pelo São Paulo à base de chutes. Um chute, na verdade, certeiro de Fernandinho. O substituto de Washington marcou o gol da magra vitória por 1 a 0 sobre o Once Caldas. O resultado deu a primeira colocação do Grupo 2 à equipe tricolor, que deve confirmar-se como dona da segunda melhor campanha da Taça Libertadores e hoje enfrentaria o Universitário, do Peru, nas oitavas de final. A torcida são-paulina também fez sua parte para mandar para longe a crise. Apesar da impaciência em certos momentos, mostrou que, quando o assunto é Libertadores, se mobiliza. Tentando superar o trauma da eliminação no Campeonato Paulista, marcou o melhor público do Morumbi na temporada: mais de 50 mil pessoas.

Ainda não foi o reencontro com um futebol de entusiasmar, mas isso nem sempre é o mais importante na Libertadores. Ricardo Gomes fincou pé nas suas recentes concepções. Mesmo depois de o São Paulo ter perdido para o Santos (3 a 0) e ter sido eliminado do Estadual, o treinador escalou um time cuja principal característica era mesmo a velocidade. Washington, punido no bolso (20% do salário) por críticas ao comandante na Vila Belmiro, acabou sendo castigado também no campo, ficando fora do time.

O São Paulo não mostrou muito menos do que as mesmas fragilidades da derrota para o Santos. Cicinho tem dificuldades na marcação e às suas costas surgiram as principais chances do adversário. Ao contrário de Washington, Marlos e Fernandinho carecem de experiência em Libertadores: ambos caíam, simulavam faltas, e nada de o árbitro argentino Diego Abal cair na onda dos leves são-paulinos.

Só que o Once Caldas não tem nada parecido com Neymar, Robinho e Paulo Henrique Ganso.. Se tivesse...Porque as melhores chances do jogo foram dos visitantes, que, podendo empatar para ficar na primeira colocação do Grupo 2, jogaram só nos contra-ataques. Moreno errou cabeçada na frente de Rogério no início. Depois, Santoya "entortou" Cicinho e só não fez o gol porque demorou a finalizar e deixou a zaga afastar. Na segunda etapa, Castrillón acertou a trave.

Na história da primeira fase da Taça Libertadores de 2010, porém, ficará escrito que Fernandinho deu a vitória ao São Paulo em um gol à moda Washington. Na base do oportunismo, aos 40 minutos, Marlos girou em cima de zagueiro e tocou para o atacante são-paulino marcar seu quinto gol pela equipe tricolor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.