Ferrari vai anunciar nesta quinta patrocinador brasileiro

A equipe da Fórmula 1 vai se juntar à marca de energético TNT até 2019

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 02h08

SÃO PAULO - A Ferrari vai ser patrocinada por uma empresa brasileira pela primeira vez na história. A equipe e o Grupo Petrópolis anunciam nesta quinta, em Interlagos, a assinatura de contrato de longo prazo, até 2019, para a divulgação da marca do energético TNT, exposta no bico do modelo F2012 de Fernando Alonso e Felipe Massa que irá disputar o GP do Brasil.

"Nós já havíamos associado nosso produto aos pilotos e agora vamos investir no time'', explica o diretor de mercado do Grupo Petrópolis, Douglas Costa. A Ferrari realiza uma espécie de auditoria nas empresas que se interessam em patrocinar a equipe e chama a atenção a extensão do contrato. Os valores não serão divulgados. "Mais por opção da própria Ferrari, que adota essa política'', diz Costa. "Mas posso dizer que é um dos centímetros quadrados mais caros do mundo.''

O Grupo Petrópolis viu no automobilismo um importante instrumento de divulgação do energético, tanto que patrocina a equipe de Luciano Burti e David Muffato na Stock Car, está em cinco caminhões da Fórmula Truck e com Tony Kanaan na Fórmula Indy. "Para nossa estratégia de internacionalização o investimento na Ferrari também vai ajudar muito'', diz Costa.

Massa e Alonso são divulgadores na marca TNT. Como nas duas últimas temporadas o brasileiro não se colocou em condição de lutar com o companheiro pelo título, acabou preterido na Ferrari, como ocorreu domingo, em Austin - o time quebrou o lacre do câmbio do carro de Massa para ele ser punido e Alonso subir uma posição no grid.

A pergunta ao diretor do Grupo Petrópolis é inevitável: algum receio de associação indesejável da marca, agora no carro, com esses fatos? "Não. Temos um ano de experiência de patrocínio com os pilotos. Só auxiliou potencializar nossa marca. O nome Ferrari, objeto de desejo, prevaleceu.'' 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.