FIA anuncia: vai fiscalizar a McLaren no GP do Brasil

Entidade quer assegurar igualdade de tratamento entre Alonso e Hamilton

O Estadao de S.Paulo

12 de outubro de 2007 | 00h00

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) vai enviar um fiscal para o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 com a função de manter a igualdade de tratamento entre Lewis Hamilton e Fernando Alonso na McLaren na última corrida do ano. A medida foi tomada depois de um pedido do presidente da Federação Espanhola de Automobilismo, Carlos Gracia, que procurou pessoalmente o dirigente máximo da FIA, Max Mosley, para expressar sua preocupação com a possibilidade de a escuderia inglesa prejudicar o piloto espanhol para beneficiar o inglês na luta pelo título.Segundo Gracia, a medida tem como objetivo observar especialmente os treinos de classificação, nos quais Alonso tem reclamado muito do tratamento recebido da Mclaren. O assunto sobre uma possível diferença de tratamento entre os pilotos tem gerado tanta polêmica que a escuderia inglesa divulgou um comunicado oficial garantindo que ambos terão iguais condições de disputar o campeonato no dia 21, em Interlagos. Ron Dennis, diretor da equipe, convidou Gracia para acompanhar o GP. Hamilton soma 107 pontos e Alonso, 103.Ontem, o jornal alemão Bild divulgou que o espanhol assinou um contrato de três anos na Renault. Desde que Alonso tornou pública sua insatisfação com a McLaren, são muitos os boatos de mudança de equipe - já foi cogitada sua transferência para a Ferrari, a BMW e a Renault. Nesta semana, os jornais espanhóis noticiaram que Fernando Alonso já fez reuniões com os dirigentes da equipe conduzida por Flávio Briattore para negociar seu contrato com a Renault, mas estabeleceu algumas exigências, como a de ser o primeiro piloto, para aceitar a proposta. O acordo também dependeria da disposição da McLaren em liberá-lo do contrato válido até o fim do ano que vem, sem multa.CHEGADAVários carros que serão utilizados no GP do Brasil chegaram ontem ao País. Os equipamentos, que vieram da China, foram desembarcados no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, e transportados para o Autódromo de Interlagos. Cerca de mil toneladas, entre carros, caminhões, motores e pneus, já estão nos boxes. A primeira equipe a chegar foi a Honda, do brasileiro Rubens Barrichello e do inglês Jenson Button.Para receber a corrida, Interlagos passou por várias reformas, atendendo aos pedidos da Federação Internacional de Automobilismo. Os ingressos para a corrida do dia 21 (próximo domingo) já estão esgotados.COMPRA-SE EQUIPEO português naturalizado sul-africano Tony Teixeira quer comprar uma equipe de Fórmula 1. ''''Se encontrar um acordo razoável e o preço certo, posso ficar entre as dez primeiras posições da Fórmula 1'''', disse o empresário do setor de óleo, ouro e diamantes, que faz questão de investir em um time competitivo na principal categoria do automobilismo. ''''Quero estar perto do topo tanto quanto possível.'''' A maior possibilidade de negócio para Teixeira é a Toro Rosso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.