Fidel Castro confirma deserções de pugilistas cubanos

Profissionalização no boxe deve ser a meta de Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara

23 de julho de 2007 | 21h10

O líder cubano, Fidel Castro, confirmou na noite desta segunda-feira, através de um comunicado oficial, que os pugilistas Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara desertaram Cuba durante os XV Jogos Pan-Americanos, que estão sendo disputados no Rio de Janeiro.   Veja também:  O quadro de medalhas Os detalhes das modalidades em disputa    No comunicado, Fidel Castro lamenta a atitude dos atletas e deixa nas entrelinhas que os Estados Unidos teriam algo a ver com as deserções. "Nos nocautearam [os pugilistas] com um golpe direto no queixo", afirmou. "Não existe justificativa para solicitar asilo político. Se o Brasil não for seu mercado definitivo, pouco importa. Existem muito países de primeiro mundo que pagam muito mais".   Rigondeaux - atual bicampeão olímpico da categoria até 54 kg (Galo) - e Lara desapareceram no domingo, quando deveriam lutar pelas quartas-de-final de suas respectivas categorias. Como de praxe, o Comitê Olímpico Cubano não comentou sobre o assunto.   Com a confirmação destas deserções, a delegação cubana sofreu sua terceira baixa até o momento, já que o jogador de handebol, Rafael Capote, abandonou a delegação, assim como o técnico de ginástica, Lázaro Lamelas Ramírez.   Mais cedo, o Comitê Executivo da Organização Desportiva Pan-americana (Odepa) expressou sua preocupação pelo desaparecimento dos boxeadores cubanos, chegando a pedir à organização dosJogos Pan-Americanos que investigasse o caso.(com Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
Pan 2007deserçãoCuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.