Fidel culpa EUA por deserção de atletas durante o Pan

O líder cubano Fidel Castro acusou nasegunda-feira os Estados Unidos de estimular as deserções detrês atletas e um treinador que estavam na delegação cubana nosJogos Pan-Americanos disputados no Rio de Janeiro. Segundo Fidel, os atletas traíram, por um punhado dedólares, a pátria que os educou e formou gratuitamente. "A traição por dinheiro é uma das armas preferidas dosEstados Unidos para destruir a resistência de Cuba", escreveuFidel em um editorial divulgado para correspondentesestrangeiros em Havana. O golpe mais duro foi desferido no domingo, quando ocampeão olímpico de boxe Guillermo Rigondeaux, da categoria até54 quilos, e o campeão mundial de até 69 quilos, ErislandyLara, não se apresentaram para a competição no Rio de Janeiro. Antes já haviam abandonado a delegação cubana o jogador dehandebol Rafael Capote e o técnico de ginástica artísticaLázaro Lamelas. Várias estrelas do esporte cubano desertaram de suasdelegações durante competições no exterior na última década,seduzidos por generosos contratos em ligas profissionais dosEstados Unidos e da Europa. "De antemão já se conhece seu destino final como atletasmercenários em uma sociedade de consumo", disse Fidel numaalusão aos Estados Unidos. "Não existe nenhuma justificativa para se solicitar asilopolítico", acrescentou. (Por Esteban Israel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.