Fidel reclama do tratamento internacional de suas 'Reflexões'

Para ele, imprensa ignorou fatos sensíveis presentes em seu artigo sobre os Jogos Olímpicos na China

Efe,

27 de agosto de 2008 | 01h13

O ex-presidente cubano Fidel Castro se queixou nesta terça-feira, 26, de como a imprensa internacional registrou uma coluna de sua autoria sobre o desempenho da delegação de Cuba nos Jogos Olímpicos de Pequim. Veja tambémRaúl Castro recebe atletas cubanos que disputaram os JogosApós Pequim, Fidel pede que Cuba reveja seu setor esportivoFidel se solidariza com atleta cubano que agrediu árbitro "Observei cuidadosamente as reações midiáticas do Ocidente à minha reflexão do domingo sobre os Jogos Olímpicos na China. Fatos sensíveis incluídos nela foram totalmente ignorados, e outros aspectos foram exaltados pelos defensores da exploração", afirmou em um novo artigo de suas "Reflexões". "Não esperava outra coisa. Estava condenado, como os pugilistas cubanos, diante de árbitros e juízes subornados, e sabia muito bem o que publicariam", acrescentou Fidel, em um artigo intitulado 'O que não se disse de Cuba'. Na opinião do líder, a imprensa internacional destacou sua justificativa para o lutador cubano de tae kwon do que agrediu um árbitro após ser desclassificado, e suas acusações contra juízes que, segundo ele, roubaram a vitória dos atletas da ilha, e não outros aspectos de seu extenso artigo. Entre "o que não foi dito pela imprensa internacional", segundo Fidel, está o fato de que Cuba "é o único país onde não existe o esporte profissional", ou o único que "criou, há anos, uma grande Escola Internacional de Educação Física e Esporte de nível superior, onde são formados muitos jovens e onde estudam atualmente cerca de 1.500 alunos sem pagar um só centavo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.