Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Fifa alerta sobre cambistas e promete cancelar ingressos

Entidade lembra que não pode combater a venda ilegal sozinha e pede para os torcedores não comprarem bilhetes sem ser por site oficial

Agência Estado

22 de maio de 2014 | 10h30

ZURIQUE - A Fifa resolveu se manifestar nesta quinta-feira para alertar os torcedores de que o site oficial da entidade é a única fonte legítima para venda de ingressos da Copa do Mundo de 2014. O organismo que controla o futebol mundial prometeu coibir, com a ajuda das autoridades competentes, a ação de cambistas, assim como prometeu cancelar a validade de bilhetes descobertos "como fruto de venda ou revenda ilegal".

"A 21 dias do início da Copa do Mundo em São Paulo, cambistas inescrupulosos em todo o planeta continuam se aproveitando dos torcedores ansiosos por conseguir ingressos para os jogos do torneio. Empresas, sites e pessoas físicas vêm, cada vez mais, oferecendo entradas a torcedores inocentes por meio de revendas não autorizadas a preços exorbitantes", destacou a Fifa, por meio de um comunicado oficial.

A entidade ainda enfatizou: "É importante reiterar que a única fonte legítima de ingressos é o www.fifa.com. Mais nenhum site ou terceiro tem qualquer direito de vender legitimamente entradas para a Copa do Mundo".

Para coibir a venda ou a revenda ilegal de ingressos do Mundial, a Fifa vem trabalhando em conjunto com a Match (empresa responsável pela comercialização das entradas) desde 2012, um ano antes do lançamento das vendas das entradas. "Para a Fifa, é fundamental proteger os torcedores dos riscos das vendas ilegais de ingressos", afirmou o diretor de marketing da entidade, Thierry Weil.

"Nas últimas semanas, infelizmente estamos vendo cada vez mais pessoas saindo decepcionadas de nossos centros de venda por não conseguirem retirar os ingressos comprados em sites não oficiais. A Fifa cancela todos os ingressos que forem descobertos como fruto de venda ou revenda ilegal, e os portadores correm o risco de não ser autorizados a entrar nas partidas da Copa do Mundo", completou o dirigente.

A Fifa, entretanto, lembra que sozinha não pode combater a venda ilegal de ingressos e que o próprio torcedor precisa se conscientizar dos riscos que está assumindo ao tentar adquirir bilhetes por vias diferentes das proporcionadas pelo site oficial da entidade.

"Assim como no futebol, combater o flagelo da venda não autorizada de ingressos requer um esforço em equipe. Além da Fifa, são os torcedores quem decide, onde comprar seus ingressos, enquanto as autoridades de todos os níveis e jurisdições possuem a capacidade e as ferramentas jurídicas para intervir e punir eficientemente tais atividades", destacou Thierry Weil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.