Fifa comemora o êxito do soccer pós-1994

Quinze anos separam a Copa do Mundo de 1994 da vitória da seleção dos EUA contra a Espanha, atual líder do ranking da Fifa, na semifinal da Copa das Confederações. O triunfo por 2 a 0, obtido anteontem em Bloemfontein, é celebrado pela Fifa com entusiasmo. "O sonho americano se realizou", estampava a entidade em seu site.Na avaliação do órgão comandado pelo suíço Joseph Blatter, o futebol conseguiu desbravar o último bastião. "O soccer tem se desenvolvido durante anos. Um resultado como este ajudará o processo ainda mais", disse Nicolas Maingot, diretor de comunicação da Fifa. Os americanos veem cada vez com maior distância o tempo em que era necessário explicar o funcionamento do futebol. No véspera da abertura do Mundial de 1994, por exemplo, o jornal USA Today destrinchava a modalidade, ao dizer que cada time tinha 11 atletas e apenas um deles - o que vestia uma camiseta de outra cor - poderia tocar a bola com as mãos.Apesar da evolução da equipe masculina (afinal, o soccer sempre foi um esporte feminino), o futebol ainda tem participação reduzida no noticiário nacional. Mas não ontem, quando os principais meios de comunicação repercutiram o feito.A revista Sports Illustrated afirmou que o resultado na África do Sul era o "milagre no campo". Comparou a vitória com o duelo do hóquei sobre o gelo entre EUA e URSS, vencido pelos americanos na Olimpíada de Inverno de 1980, em plena Guerra Fria - partida lembrada como o "milagre no gelo". A vitória também causou efeito imediato para a Copa de 2010. "Há uma enorme demanda, vinda dos EUA, para a compra de ingressos ", afirmou Jermaine Craig, do Comitê Organizador do Mundial - mais de 93 mil entradas foram vendidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.