Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Fifa condena Cueva e Pachuca a pagar mais de R$ 37 milhões ao Santos

Para a entidade, jogador peruano e clube mexicano promoveram a quebra de contrato com o time brasileiro e precisam ser ser punidos

Redação, Estadão Conteúdo

15 de dezembro de 2020 | 11h21

Em uma situação financeira difícil, o Santos recebeu uma boa notícia nesta terça-feira. O clube santista conseguiu uma vitória sobre o meia peruano Cristian Cueva na transferência para o Pachuca. O jogador e o clube do México foram condenados pela Fifa a pagar R$ 37.664.106,00 mais 5% de juros a partir de 8 de junho deste ano por quebra unilateral do contrato. Ainda cabe recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês).

Por outro lado, o Santos terá de pagar R$ 694.839,00 a Cueva por conta do saldo devedor à época do término do contrato. A situação, no entanto, deve se estender até janeiro, uma vez que a Fifa ainda não publicou a decisão completa, o que só deve acontecer no início de 2021.

Cueva foi contratado pelo Santos em 2019 junto ao Krasnodar, da Rússia, por US$ 7 milhões (cerca de R$ 30 milhões). Ele passou o primeiro ano no clube da Vila Belmiro vinculado por um contrato de empréstimo que venceu no último dia 30 de janeiro - dois dias antes, porém, ele parou de se apresentar no CT Rei Pelé, em Santos.

O acordo com Cueva previa esse contrato de empréstimo que se tornaria um vínculo definitivo logo em seguida, quando o Santos iniciaria o pagamento ao Krasnodar em três parcelas anuais - em 2020, 2021 e 2022. Um pré-contrato assinado pelo peruano garantia a operação. Cueva, porém, jamais assinou o contrato definitivo, o que impediu o clube santista de registrá-lo ao final de janeiro.

Em fevereiro, a Fifa autorizou Cueva a se transferir para o Pachuca, de forma provisória. O jogador já treinava no clube mexicano há mais de uma semana, pois havia deixado do Santos alegando atrasos nos pagamentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.