Fifa cria norma para evitar caso como o da MSI

Nova diretriz impede parceiros futuros de interferirem na direção de futebol dos clubes ou apropriação de atletas

O Estadao de S.Paulo

30 de outubro de 2007 | 00h00

A Fifa muda suas regras para evitar que contratos como o que foi assinado entre o Corinthians e a MSI se repitam no futuro. Ontem, o Comitê Executivo da entidade aprovou uma modificação em suas leis para deixar claro que um clube não pode fechar acordos com partes que interfiram na direção de futebol de um clube ou sejam proprietárias de jogadores. Joseph Blatter, presidente da Fifa, deixou claro que uma CPI no Corinthians não afetará a candidatura do Brasil para sede da Copa de 2014. Mas a entidade mantém sua posição contra uma ampla investigação sobre o futebol nacional.O cartola admitiu que o futebol internacional enfrenta "situações complicadas" diante dos problemas enfrentados "em alguns setores do futebol brasileiro, mais especificamente o Corinthians e a transferência de jogadores e dinheiro". Blatter insinuou que não teria problemas com investigações do caso do Corinthians. "Não influenciará a decisão da Copa do Mundo no Brasil. É algo que deve ser tratado paralelamente", disse o dirigente.Fontes da cúpula da entidade, porém, garantiram ao Estado que as declarações de Blatter não significam que o cartola esteja dando sinal verde a uma ampla investigação do Congresso, algo que Ricardo Teixeira, presidente da CBF, vêm tentando evitar. "Não está na hora de uma investigação dessa natureza", afirmou um dos membros do Comitê Executivo da Fifa, que pediu para não ser identificado.Ontem, a Fifa voltou a reafirmar a necessidade de ?proteger o futebol de interferências governamentais?. "Precisamos ser fortes e justos", disse o vice-presidente da entidade, Geoff Thompson, ao apresentar um relatório sobre interferências políticas em vários países.MSIPara evitar novos problemas como o da MSI, a Fifa estipulou que nenhum clube poderá fechar contratos que afetem a "independência, política e performance de um clube". O novo artigo, que entra em vigor no final do ano, prevê ainda que medidas disciplinares, como multas ou suspensões, possam ser adotadas contra clubes que não respeitem essas leis.O Estado ainda apurou que a Polícia Federal pedirá nas próximas semanas detalhes sobre os contratos dos jogadores da MSI que estão no exterior. Parte dos salários dos jogadores do Corinthians poderia ter sido paga diretamente em contas na Suíça. J.C e L.N

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.