Fifa dá sinal verde para estádio em Itaquera, diz ministro

Orlando Silva afirma não haver mais dúvida de que abertura será no estádio do Corinthians e prevê início das obras para abril

Gustavo Uribe, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2011 | 00h00

O ministro dos Esportes, Orlando Silva, afirmou ontem que a Fifa já fechou questão sobre a escolha do futuro estádio do Corinthians em Itaquera, na zona leste, como o local que vai representar São Paulo na Copa do Mundo de 2014. De acordo com o ministro, o Comitê Organizador Local da Fifa está "absolutamente seguro" sobre a viabilidade do palco paulista.

"Eu tive uma informação recente, do Comitê Local da Fifa, que eles estão absolutamente seguros que a questão do Estádio em São Paulo está equacionada", disse Orlando Silva, após encontro, na capital paulista, com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. À tarde, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com o ministro para discutir assuntos relacionados à Copa.

A expectativa do Comitê Paulista, coordenado pelo governo estadual, é que as obras para a construção da nova arena tenham início em abril. "O plano B é Itaquera, o plano A é Itaquera e o plano C é Itaquera. A cidade e o Estado decidiram que será ali o estádio de São Paulo. Ali será a Copa em 2014", garantiu Silva.

Um dos pontos tratados no encontro foi a ampliação dos terminais e pistas dos aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, e Viracopos, em Campinas. O governo estadual já autorizou a realização das obras, sob responsabilidade da Infraero. Na quinta-feira, o Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) aprovou licença ambiental para a ampliação de Viracopos.

"A Infraero tem um plano de investimento que incorpora os 67 aeroportos do Brasil, mas evidentemente 13 ou 14 aeroportos, focados na questão da Copa, terão investimento concentrado para aumentar a sua capacidade", garantiu. "E São Paulo será beneficiado. A Infraero deve a partir de agora agir com mais rapidez." Disse que a ampliação da estrutura aeroportuária em São Paulo é "necessidade para hoje".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.