Fifa e COI já têm lucro recorde no Brasil

Argumento das entidades foi o do aumento da audiência dos eventos esportivos no mundo

Jamil Chade, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2011 | 00h00

GENEBRA - Fifa e COI já asseguram lucros recordes com a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016 no Brasil. Para garantir valorização dos contratos com patrocinadores, o argumento foi o do aumento da audiência dos eventos no mundo.

Segundo a Fifa, cerca de 1 bilhão de pessoas assistiram ao menos parte da partida final entre Espanha e Holanda. A entidade alega que nenhum outro evento garante tal exposição às marcas.

Entre as Copas de 2006 e 2010, a audiência subiu 8%, outro fator para elevar os preços. Curiosamente, a audiência da Copa no Brasil em 2010 foi 4% inferior à de 2006. Mas a expansão na Ásia alavancou acordos de marketing para 2014.

Nem os escândalos de corrupção na Fifa foram suficientes para reduzir o valor dos contratos. Apenas com as seis maiores empresas parceiras, a Fifa vai arrecadar US$ 1,6 bilhão (cerca de R$ 2,5 bilhões). Os direitos de TV no Brasil darão à Fifa mais US$ 2,2 bilhões (em torno de 3,4 bilhões), cifra duas vezes maior que a da Copa de 2002.

O interesse pela Olimpíada no Rio em 2016 também bate recorde. Segundo o COI, os contratos com emissoras de todo o mundo devem superar US$ 4 bilhões (aproximadamente R$ 6,2 bilhões).

Veja também:

linkConsultora prevê R$ 55 bi de impacto na economia do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.