Fifa e parceiros obtêm isenção total de impostos

O encontro ontem entre o ministro do Esporte, Orlando Silva, e o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, em Brasília, com a participação do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, serviu também para selar o acordo em relação ao benefício tributário que será concedido para a entidade máxima do futebol. Após a reunião, o ministro anunciou que o governo bateu o martelo para isentar totalmente a Fifa e seus parceiros de pagar imposto referentes a todos os serviços e produtos ligados à Copa de 2014.

Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2010 | 00h00

A emissora de televisão que vai transmitir as imagens oficialmente também receberá isenção, segundo Silva. Um projeto de lei deve ser enviado ainda neste mês para o Congresso para que seja votado até o final do ano. A isenção tributária, disse o ministro, valerá de janeiro de 2011 até 31 de dezembro de 2015.

Silva não revelou o valor dessa renúncia fiscal, mas defendeu a medida sob a alegação de que a perda de arrecadação será compensada pelo aquecimento da economia com a Copa. "A decisão de isentar a Fifa é a partir da avaliação de que o Brasil vai ganhar muito mais com o aquecimento da economia. A isenção de impostos terá impacto menor do que aquilo que será gerado pela economia e o que será arrecadado de tributos"", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.