Fifa não vê razão para Recife crescer custo

Segundo a entidade, o fato de arena ter o prazo de entrega antecipado não justifica mudança no orçamento estabelecido

ZURIQUE, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2012 | 03h09

O alto escalão da Fifa alerta: não existe motivo para que a Arena Pernambuco tenha seu orçamento inflado. O estádio continua sendo uma das maiores preocupações da entidade e ainda não está confirmado para a Copa das Confederações de 2013.

A arena precisa ser entregue até fevereiro e a antecipação do prazo - inicialmente, ficaria pronto em dezembro do próximo ano -, implicará, segundo os construtores, em aumento do custo inicialmente estabelecido em R$ 532 milhões, conforme revelou ontem o Estado.

O prazo para a confirmação da arena é novembro e a Fifa decidiu esperar até a data preestabelecida para tomar uma decisão. "Ainda há uma pendência, que é Recife", declarou ontem Rafael Salguero, um dos 24 integrantes do Comitê Executivo da Copa.

Mas foi do presidente da Comissão da Copa na Fifa, o paraguaio Nicolas Leoz, que veio o alerta. "O ladrilho é o mesmo preço. Não há por que ter um incremento no preço do estádio."

José Maria Marin, presidente da CBF, prefere não falar de orçamento. "Obviamente que acompanhamos. Mas isso é um tema do governo", disse. Ricardo Trade, diretor executivo de operações do Comitê Organizador Local da Copa de 2014, também evita falar sobre os valores do equipamento pernambucano.

Maracanã. Ontem, a Fifa se reuniu com o COL e a percepção da entidade é de que não há mais nenhum estádio em situação crítica para a disputa da Copa. Mas os técnicos da área de construção alertaram que, em alguns casos, não se pode mais perder tempo. Um deles é o Maracanã, palco de vários jogos, entre eles a final em 2014.

Para estar pronto, não pode mais haver nem greves prolongadas nem problemas técnicos. "O Maracanã continua sendo um grande desafio. Não tem folga na obra. Não pode ter problemas, se acontecer um imprevisto, pode afetar o prazo", afirmou Trade.

Outra preocupação é com Natal, que está classificado pela Fifa como estando em "estado de atenção". Trade estima que, por ser um estádio menor, não haverá problemas com a Arena das Dunas até 2014. Até agora, apenas Fortaleza e Belo Horizonte terão os estádios - Castelão e Mineirão - entregues antes do prazo previsto pelas cidades. / J.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.