Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Reuters
Reuters

Fifa premia nesta segunda o futebol-arte do Barça de Messi, Iniesta e Xavi

Clube catalão tem os três finalistas do troféu de melhor do ano e fretou dois aviões para levar a Zurique convidados e grandes nomes de sua história

Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2011 | 00h00

O Barcelona transforma a recepção de gala da Fifa, nesta segunda-feira, às 16 horas (de Brasília), em Zurique, na Suíça, em sua festa particular e na consagração do futebol-arte. Seus três principais jogadores - Xavi, Messi e Iniesta - são os finalistas da Bola da Ouro, troféu dado ao melhor jogador do mundo em 2010. Pep Guardiola ainda concorre como melhor técnico e outros três jogadores do time fazem parte da seleção do ano: Piqué, Puyol e Villa.

Veja também:

linkBlatter: ausência de brasileiros se deve a legado da era Dunga

linkJovem alemã ameaça reinado de Marta

Para não perder a festa, o Barça fretou dois aviões para levar até Zurique ex-craques que fizeram parte de sua história. Ronaldinho Gaúcho foi convidado, mas, diante da saga de sua transferência, não deve comparecer.

O evento, conhecido como "o Oscar do futebol", marca a consagração de um estilo de jogo que, muitos temiam, já estivesse perdido: o futebol espetáculo. Mas o Barça provou duas coisas: a primeira é que técnica, passes, ousadia e habilidade ainda conquistam títulos. A outra é que o melhor investimento que um time pode fazer é nas categorias de base, e não necessariamente em contratações milionárias. Os três finalistas a melhor do ano são crias da casa. Iniesta e Xavi são considerados favoritos para ganhar o prêmio, que em 2009 ficou justamente com Messi.

Iniesta fez o gol da vitória da Espanha na final da Copa do Mundo e, no Barça, mantém um desempenho invejoso. A Fifa tradicionalmente dá o prêmio de melhor do ano a um jogador que tenha sido essencial na Copa do Mundo. Isso já aconteceu com Cannavaro em 2006, Ronaldo em 2002 e Zidane em 1998. O problema é que Iniesta ficou quase todo o primeiro semestre do ano sem jogar por contusão.

Já Xavi entrou para a história do Barça nesta semana ao completar mais de 550 jogos pelo clubes, recorde absoluto. Cruyff, por exemplo, aposta nele. "Messi é o melhor, mas falhou no Mundial, e Iniesta é outro virtuoso e marcou o gol da final, mas esteve lesionado. Este é o ano de Xavi", corrobora Luis Suárez, ex-jogador do Barça e vencedor da Bola de Ouro nos anos 60.

Messi aposta que o título ficará entre Xavi e Iniesta. "Eles merecem", disse o argentino, após desequilibrar no jogo de sábado, pelo Campeonato Espanhol - vitória por 4 a 0 sobre o La Coruña, na casa do adversário. "Com o dinheiro que tem a Fifa, será que não era possível dar três prêmios?", ironizou Xavi.

Treinadores. Numa prova de que 2010 foi o ano do futebol espanhol, a rivalidade entre Barça e Real Madrid será transferida para Zurique hoje. Os técnicos das equipes concorrem ao prêmio de melhor do mundo, na primeira vez em que a Fifa concederá tal honraria. Vicente Del Bosque também está na disputa e, para muitos, é o favorito por ter levado a Espanha a seu primeiro título Mundial, na África do Sul.

O técnico do Real, José Mourinho, apimentou a disputa ao declarar que "em 2010, me dou um 11". Ele venceu a Copa dos Campeões com a Inter de Milão e, no Real, fez uma temporada que só foi superada pela do Barça. Já seu rival, Pep Guardiola, ganhou tudo o que disputou em seus poucos anos como treinador. Todos merecem. Só um vencerá.

Alterado às 11h33 para correção de informação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.