Filas marcam retirada de ingressos para Brasil x Japão

Filas marcam retirada de ingressos para Brasil x Japão

Em média, os torcedores estavam levando três horas para conseguir os ingressos

LEANDRO SILVEIRA, Agência Estado

15 de junho de 2013 | 13h04

BRASÍLIA - Poucas horas antes da abertura da Copa das Confederações, com a partida entre Brasil e Japão, ainda havia longas filas no Centro de Convenções Ulysses Guimarães para retirada de ingressos. Como muitos torcedores deixaram para coletar suas entradas neste sábado, houve aglomeração de pessoas e demora de, em média, três horas para conseguir os bilhetes.

Na manhã deste sábado, a Fifa havia informado que ainda restavam cerca de 3.500 ingressos a serem retirados - foram vendidos 64.815 no total - e chegou a admitir que esta era uma das grandes preocupações para a abertura do torneio. Com o passar das horas, uma fila gigantesca foi formada no centro de convenções, ao lado do Estádio Nacional (Mané Garrincha), onde acontecerá a partida.

Os torcedores alegam que a coleta dos ingressos começou somente às 10 horas, e não às 8, como havia sido determinado pela Fifa. "Vim cedo para a fila para trocar meu ingresso e assistir à cerimônia de abertura. Mas com toda essa fila não vou conseguir. É a primeira vez que venho no Mané Garrincha e não imaginava que ia ser tão difícil pegar o ingresso", disse o torcedor Lucas Gomes Soares.

Algumas pessoas justificaram o fato de terem deixado a retirada para a última hora alegando que não poderiam fazê-la durante a semana por conta de seus empregos. "Comprei meu ingresso nessa última semana, não tive como agendar a retirada porque trabalho durante a semana", afirmou outro torcedor, Danilo Damazi.

Nas últimas horas, a fila diminuiu um pouco, mas algumas pessoas ainda chegavam ao centro de convenções para receberem seus ingressos. Com isso, existe a possibilidade de alguns torcedores perderem a Cerimônia de Abertura da competição e até o início da partida entre Brasil e Japão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.