Kirstin Scholtz/WSL
Kirstin Scholtz/WSL

Filipe Toledo conquista 1ª etapa do Circuito Mundial de Surfe

Brasileiro leva nota 10 e surpreende Julian Wilson na Austrália

O Estado de S. Paulo

13 Março 2015 | 07h03

O Brasil continua dominando o surfe mundial. Depois do inédito título de Gabriel Medina em 2014, Filipe Toledo colocou o País no lugar mais alto do pódio na madrugada desta sexta-feira, ao se sagrar campeão da etapa de Gold Coast, na Austrália, a primeira do Circuito Mundial. A vitória do brasileiro, de apenas 19 anos, foi com show e direito a uma nota dez para superar o australiano Julian Wilson por 19,60 a 14,70 na decisão.

Caçula entre todos os surfistas do circuito, Filipe Toledo, natural de Ubatuba, no litoral de São Paulo, e filho de Ricardo Toledo, bicampeão brasileiro de surfe, encerrou com chave de ouro a sua grande exibição em Snapper Rocks, quando chamou atenção desde as primeiras fases da competição. Na final, ele enfrentou Julian Wilson, grande sensação do surfe australiano, mas não se intimidou, liderando a disputa desde o início. Em sua primeira onda, encaixou uma série de manobras, encerrando com um aéreo e tirou nota 8. Na sequência, conseguiu alguns "drops" para somar mais 6 pontos, chegando a 14, enquanto seu adversário continuava zerado.

Quando faltavam 18 minutos para o fim da bateria, Wilson finalmente conseguiu sua primeira nota, um 3,70, nada que ameaçasse o brasileiro. Na sequência, porém, o australiano conseguiu um belo aéreo depois de algumas manobras para tirar 9,17. O brasileiro não se abateu e na onda seguinte foi ainda melhor que o seu adversário para conseguir um 9,60 e ficar muito perto do título.

Nos minutos finais, Julian Wilson, já incomodado pela situação, ficou esperando a onda "perfeita" que o faria reverter a situação. Além de ele não conseguir mais pontuar consideravelmente, ainda viu "de camarote" ao brasileiro fazer manobras incríveis com sua prancha e, antes mesmo de saber que havia recebido a nota dez, comemorar o seu primeiro título no Circuito Mundial, em situação semelhante à alcançada por Gabriel Medina em 2014, quando o brasileiro superou o também australiano Joel Parkinson na grande final.

FEMININO

Entre as mulheres, o título ficou com a havaiana Carissa Moore, que superou a local Stephanie Gilmore, hexacampeã mundial e algoz das brasileiras Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb, na grande final. A jovem, de 22 anos, assim como Filipe Toledo, não se intimidou com a torcida contra e superou a rival por 18,43 a 15,50.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.