Fim de festa no Cubo d?água

Delegação brasileira encerra participação na natação em Pequim com 19 medalhas

O Estadao de S.Paulo

16 de setembro de 2008 | 00h00

O Brasil encerrou o último dia de competições da natação paraolímpica com mais quatro medalhas. Daniel Dias brilhou novamente no Cubo d?Água: além de conquistar a prata nos 50 metros livre, classe S5, também participou do prateado revezamento 4 x 50 metros medley. O nadador fechou a participação em Pequim como o maior medalhista do País - foram 11 disputas e nove medalhas (quatro ouros, quatro pratas e um bronze). Veja o quadro de medalhasNo revezamento de quatro estilos, Daniel foi o primeiro a cair na água, com o nado costas. Evanildo Vasconcelos foi o segundo homem, no peito. O País ocupava a segunda colocação, mas caiu uma posição durante a participação de Luis Silva, no nado borboleta. Quem recolocou o Brasil no segundo lugar foi Clodoaldo Silva, que fechou a prova em 2min39s21 no estilo crawl. A China venceu (2min33s15) e a Espanha ficou com o bronze (2min40s38).As outras duas medalhas individuais da natação foram conquistadas por André Brasil e Edênia Garcia. A brasileira foi bronze nos 50 m livre, na classe S4 (nadou em 53s28). André venceu os 400 m livre, categoria S10. Ao terminar a prova em 4min05s84, bateu o recorde paraolímpico da modalidade e se tornou o segundo maior medalhista da delegação brasileira, com quatro ouros e uma prata.Embora o País tenha conquistado a expressiva marca de 19 medalhas, não foi em Pequim que a melhor campanha da natação foi superada. Em Sydney/2000, os brasileiros foram 22 vezes ao pódio.A reclassificação de Clodoaldo Silva, que passou da classe S4 para S5, atrapalhou o desempenho da delegação brasileira. O nadador deixou Pequim com duas conquistas: o bronze no revezamento 4 x 50 m livre e a prata no 4 x 50 m medley. Ainda assim, manteve-se como o maior medalhista da história paraolímpica brasileira: são 13 conquistas em três edições olímpicas, com seis ouros, cinco pratas e dois bronzes.TÊNIS DE MESA E ATLETISMOO tênis de mesa brasileiro conquistou uma inédita medalha paraolímpica. Luiz Algacir e Welder Kane ficaram com a prata na decisão masculina por equipes. Na série melhor de cinco jogos, os brasileiros perderam por 3 a 1 para os franceses Jean Phelippe Robin e Florian Merrien.No atletismo, Yohansson Nascimento conquistou o bronze nos 100 metros rasos, classe T46. Mas a participação brasileira foi alvo de polêmica no Ninho de Pássaros. O revezamento 4 x 100 m da categoria T11-T13 foi desclassificado porque, segundo a arbitragem da prova, o guia de André Luiz, o 3º homem da prova, ultrapassou o atleta (o que é proibido) na hora da passagem do bastão. O time brasileiro correu abaixo do recorde mundial.No futebol de cinco, Brasil e China ficaram no empate por 1 a 1 - as duas equipes pouparam-se durante a partida, pois o resultado garantia ambas na decisão do torneio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.