Fim do castigo: Neymar joga o clássico

Presidente do Santos, Luis Alvaro Ribeiro, se reúne com o técnico Dorival Júnior e decide reintegrar o craque; punição dura pouco mais do que 48 horas

Sanches Filho ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2010 | 00h00

O castigo de Neymar no Santos, que previa afastamento por até 15 dias a pedido do técnico Dorival Júnior, durou pouco mais do que 48 horas. O atacante estará em campo no clássico de amanhã, contra o Corinthians, na Vila Belmiro.

O período de isolamento começou na manhã de sábado e terminou ontem à tarde, num encontro entre o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro e Dorival, no CT Rei Pelé, pouco antes da reapresentação do elenco. A informação oficial sobre o que ficou decidido foi dada pelo coordenador de comunicação do Santos, Arnaldo Hase: Neymar já cumpriu a punição e está à disposição do técnico, a quem caberá a decisão sobre a sua escalação.

O comandante santista e os dirigentes de futebol do clube evitaram a imprensa ontem. No treino, Dorival Júnior e Neymar não conversaram em nenhum momento. O fato de os dois terem trabalhado juntos, porém, significa que a crise foi relevada em nome de uma possível vitória amanhã, decisiva para as pretensões do Santos no Brasileiro.

Reaproximação. O fim do castigo de Neymar começou a ser costurado no domingo. Levado a Campinas por um importante assessor da cúpula santista para assistir ao jogo contra o Guarani, o atacante pediu para ir aos vestiários do Brinco de Ouro.

Segundo alguns jogadores, ele demonstrava arrependimento, voltou a pedir desculpas ao capitão Edu Dracena e aos integrantes da comissão técnica e deu um forte abraço em Dorival, além de ter participado da oração do time antes de entrar campo. O técnico surpreendeu a todos ao afirmar, antes da partida, que Neymar não é nenhum bandido e que o problema está superado. Após o jogo, Dorival evitou o assunto. "Não vou mais falar sobre Neymar. Se ele vai participar do clube, vocês (imprensa) saberão quando eu anunciar a lista dos jogadores na terça-feira (hoje)."

Para tentar fugir da polêmica entre jogador e técnico, o Santos escalou Danilo e Alex Sandro para dar entrevista ontem à tarde. Os dois, porém, não escaparam das perguntas sobre o caso. "A minha vontade é que Neymar jogue, mas vamos deixar para Dorival Júnior decidir. E ele (o treinador) vai entender a necessidade que o Santos tem de contar com Neymar nesse jogo, que será o divisor de águas para a gente", afirmou Danilo.

Alex Sandro também se mostrou favorável à volta do atacante, dando indícios de que a crise no vestiário foi superada. "A simples presença dele em Campinas deu uma motivação a mais para o time. O grupo quer que Neymar volte, mas tem de respeitar a decisão, a hierarquia", disse ele.

Em maio, Neymar, Paulo Henrique Ganso e André foram afastados do jogo contra o Atlético-GO e multados por atraso na apresentação para a concentração. Já Madson, que havia sido punido anteriormente, ficou fora por duas partidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.