Fim do Palestra Itália faz 70 anos

Obrigado a mudar de nome, clube virou Palestra de São Paulo após jogo contra o Flamengo no Pacaembu

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2012 | 03h04

Há exatos 70 anos, o Palestra Itália fazia o seu último jogo antes de mudar de nome para Palestra de São Paulo e, na sequência, Palmeiras. Foi um empate por 2 a 2 com o Flamengo, no estádio do Pacaembu, pelo Torneio Quintela de Ouro de 1942, uma espécie de Rio-São Paulo.

O clube teve de alterar o nome porque, durante a Segunda Guerra Mundial, o governo Getúlio Vargas baixou um decreto que proibia qualquer entidade de usar nomes relacionados aos países do Eixo (Alemanha, Itália e Japão), já que o Brasil estava do lado dos Aliados (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e União Soviética).

A mudança do nome de Palestra Itália para Palestra de São Paulo foi definida em reunião do Conselho Deliberativo no dia 17 de março e referendada pelo presidente Italo Adami. Também foi alterado o escudo institucional. Saíram o vermelho e a palavra "Itália". A cor amarela passou a ter mais destaque e entrou a inscrição "de S. Paulo". No distintivo usado no uniforme, o "PI" em vermelho deu lugar ao "P" em branco.

Há poucos registros sobre aquela partida contra o Flamengo. O único atleta do extinto Palestra Itália vivo é o ex-goleiro Oberdan Cattani, que hoje tem 92 anos (leia mais ao lado).

A edição de 25 de março de 1942 do Estado destacava que "para o Palestra o encontro é de suma importância, pois, se vencer, irá enfrentar o Corinthians em igualdade de condições" . O duelo com o Flamengo era a partida de fundo da noite. O jogo de abertura foi disputado entre Fluminense e São Paulo. E justamente pelo fato de a partida ser noturna, o Estado ressaltava um fato curioso: era proibida a entrada de menores de 14 anos, mesmo acompanhados dos pais.

O Palestra de São Paulo durou pouco. Em setembro, sob pena de perder seu patrimônio e ser retirado do Campeonato Paulista, o clube se viu obrigado a mudar novamente o nome e adotou Palmeiras em homenagem à Associação Atlética das Palmeiras.

"A pressão do governo e dos meios de comunicação era muito grande e se tornou insustentável. Em 20 de setembro de 1942, o Palmeiras fez sua estreia contra o São Paulo, e justamente naquele dia foi campeão paulista. O Palestra morreu líder enquanto o Palmeiras nasceu campeão", conta o historiador e conselheiro do clube José Ezequiel de Oliveira Filho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.