Fina nega que novos maiôs ajudem nadadores

Em contrapartida, entidade promete rever os métodos de homologação das roupas

EFE

07 de abril de 2008 | 15h47

A Federação Internacional de Natação (Fina) desmentiu nesta segunda-feira a existência de dados científicos que relacionem o uso dos novos trajes de banho da marca Speedo à melhora nas performances dos nadadores, e anunciou que revisará os métodos de homologação das roupas.Veja também:A evolução da natação com a ajuda do maiô LZR Racer O macacão Fastskin pode ser considerado doping?A polêmica ao redor dos novos modelos dos trajes da marca, acusados de terem influenciado em diversos recordes obtidos nos últimos meses, recebeu hoje uma resposta da Fina, que destacou seu trabalho como reguladora do processo de aprovação de roupas de competição desde novembro de 2005."A Fina está sempre disposta a examinar tudo o que for relacionado à homologação dos trajes de banho. Por isso, sabemos que não há nenhum dado científico objetivo que permita estabelecer que os trajes da Speedo, ou de qualquer outra marca, tenham uma melhor performance", indicou.O traje da Speedo, feito de um material que repele a água, está sendo investigado desde o fim de março, quando personalidades do esporte, como o ex-nadador australiano Kieren Perkins, e técnicos como o diretor da Federação Francesa de Natação, Claude Fauquet, denunciaram que 18 dos 19 nadadores que bateram recordes mundiais desde o começo da temporada usavam o controverso traje de banho.

Tudo o que sabemos sobre:
Finamaiô LZR RacerSpeedo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.