Arquivo/AE
Arquivo/AE

Fina rejeita os maiôs dos últimos recordes mundiais

Trajes usados por Fredrick Bousquet, Alain Bernard, César Cielo, Felipe França não estão na lista dos aprovados

AE, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 14h19

A Federação Internacional de Natação (Fina) segue à caça dos maiôs, que até agora já bateram 126 recordes mundiais. Nesta terça-feira, a entidade anunciou uma relação de 202 trajes aprovados para o Mundial de Roma, que acontece em julho. Entre os dez modelos reprovados estão o de Felipe França e o de César Cielo. A Fina, no entanto, não se pronunciou sobre a homologação ou não das marcas.

Veja também:

especialEntenda como funcionam os maiôs especiais

A polêmica agora recaí sobre os maiôs do recordes mundial dos 50 metros livre, do francês Fredrick Bousquet, que usou o Jaked J01, assim como, o do 100 metros livre de Alain Bernard, que usou o X-Glide. O maiô do francês é, inclusive, o mesmo utilizado anteriormente pelo brasileiro César Cielo.

Outro nome brasileiro envolvido na polêmica é Felipe França. Há dez dias, ele estabeleceu a marca de 26s89, nos 50 metros peito, durante o Troféu Maria Lenk, também com o modelo da Jaked. No site da entidade, os novos recordes aparecem com um asterisco, com o registro "à espera de aprovação da Fina".

O comunicado informa que a Fina analisou no Instituto de Tecnologia e Ciência da Suíça, 348 modelos de maiô nos últimos meses, de 21 fabricantes diferentes, e aprovou 202, com 10 rejeições e outras 136 peças que necessitam de modificações para obedecer às regras definidas no começo deste ano, em Dubai, que limitam a capacidade de flutuação dos maiôs.

O problema é que foi divulgada apenas a lista de trajes aprovados - a Fina não informou quais são os modelos definitivamente rejeitados e quais os que precisam de mudanças, e até quando essas alterações poderão ser feitas, já que em julho começa o Mundial de Esportes Aquáticos, em Roma. As empresas tem agora até 19 de junho para apresentar peças modificadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.