Final antecipada?

Boleiros

Neto, jfneto@estadao.com.br, O Estadao de S.Paulo

21 de abril de 2008 | 00h00

Olá, amigos leitores, será que o clássico de ontem disputado no Palestra Itália teria sido uma final antecipada do Estadual? Para mim, foi, e a torcida alviverde, merecidamente, deve estar fazendo muita festa. Em duelo bem disputado, o Palmeiras começou melhor o primeiro tempo. Logo no começo, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo abriu 1 a 0, com um chute de longa distância do Léo Lima. Aliás, em um lance em que o goleiro Rogério Ceni falhou feio. O ídolo tricolor não conseguiu acompanhar a trajetória da bola e, quando ela fez a curva, não teve tempo para voltar. Na seqüência, os palmeirenses ganharam praticamente todas as divididas. E, no período inicial, a forte e eficiente marcação do zagueiro Gustavo sobre Adriano praticamente definiu o resultado parcial. Já no 2º tempo os donos da casa jogaram fechadinhos para conseguir a classificação. Nos contra-ataques poderiam ter feito um monte de gols. Mas fez apenas um, com o chileno Valdivia.* * * * *.A cada dia que passa vejo novas qualidades no Luxa. A forma como o Léo Lima está atuando no Verdão me faz lembrar muito do Rincón original dos tempos de Corinthians. O treinador transforma um meia técnico e ofensivo em um segundo volante habilidoso e que sabe sair jogando. É uma forma da equipe ter escape e posse de bola. Até por isso, se esse menino tiver cabeça boa e largar a vida boêmia de outros tempos, tem tudo para chegar à seleção Brasileira. O Léo tem jogado uma bola redonda.* * * * *Se for confirmado, o Palmeiras tem de ser punido pelos atos de sabotagem no vestiário do São Paulo. Colocar gás de pimenta no local de preparação do time adversário além de absurdo é uma extrema falta de esportividade. A diretoria do Verdão merecia uma punição pela omissão em deixar um delinqüente cometer tal irregularidade. Nada contra o clube em si, mas, na minha opinião, o Palmeiras deveria perder seu mando de jogo nas finais do Paulistão.* * * * *Como neste meio do futebol tem gente oportunista e mentirosa, hein? Entre as mulheres essa proporção é maior ainda. Para falar a verdade, não considero que exista efetivamente o futebol feminino no Brasil. Não digo isso pelo machismo, aliás, muito pelo contrário. Nosso País revela muitos talentos também no sexo frágil. O grande problema é que por aqui não existe investimento nos clubes, nem prestígio de torcida, tampouco estrutura de base. Só que quando nossas meninas se superam pelo talento, chove papagaio de pirata querendo aparecer às custas delas. Isso fica comprovado a cada torneio de importância internacional. Quando as brasileiras foram vice-campeãs mundiais, por exemplo, apareceu um monte de dirigentes querendo criar torneio e investir na modalidade. E agora? Cadê todas aquelas promessas? Tô de olho...* * * * *Queria dizer ao Andrés Sanchez, atual presidente do Corinthians, que fique esperto com maracutaias de empresários na hora de contratar jogadores. Têm de vir para o Timão reforços de experiência e personalidade. Caras que venham com autoridade para vestir a camisa alvinegra. Tudo bem que o Andrés está fazendo de tudo para corrigir os erros administrativos da diretoria anterior, mas, sem dúvida alguma, nada disso vai ser levado em consideração se a equipe não subir para a 1ª Divisão. E olha que já falei para ele: boa parte do elenco não tem condições nem de ficar na reserva do time corintiano.* Colaborou Renato Nalesso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.