Charlie Neibergall/AP
Charlie Neibergall/AP

Final do beisebol vai disputar audiência com futebol americano

Antes considerado o 'esporte nacional', hoje o beisebol amarga declínio de popularidade

Flavia Alemi, O Estado de S. Paulo

23 de outubro de 2013 | 10h09

SÃO PAULO - Os jogos da World Series terão um adversário complicado para brigar pela audiência de televisão. Se St. Louis Cardinals e Boston Red Sox fizerem todos os sete jogos da final, quatro dias vão coincidir com a agenda do futebol americano, inclusive o da última e decisiva partida, no dia 31 de outubro. Constatada a queda de popularidade da Major League Baseball (MLB) e a ascensão da National Football League (NFL), quem deve levar a pior na disputa por mais televisores ligados é a primeira.

Já faz mais de 50 anos que o beisebol amarga um declínio de popularidade nos Estados Unidos. Considerando que o esporte já foi para o povo norte-americano o que hoje é o futebol para o Brasil, a queda chega a ser espantosa. Para comparar, no ano passado a audiência do primeiro jogo da MLB foi quase 10% da que a NFL atingiu também na primeira partida da temporada. O fato de não haver espaço para mudanças progressivas no beisebol acaba empurrando os torcedores para esportes mais dinâmicos.

Apesar da audiência de TV mostrar um beisebol em queda, a média de público dos jogos da MLB continua alta. Os times mais importantes da liga recebem mais de 40 mil torcedores por jogo. O St. Louis Cardinals, que faz a World Series deste ano contra o Boston Red Sox, teve média de 41.602 torcedores por jogo neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.