Final na Turquia faz brasileiros sonharem

Decisão hoje, às 15h45, entre o alemão Werder Bremen e o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, é encarada como vitrine por Naldo e Willian

Bruno Deiro e Bruno Lousada, O Estadao de S.Paulo

20 de maio de 2009 | 00h00

A inédita decisão da Copa Uefa, hoje, às 15h45, entre o alemão Werder Bremen e o ucraniano Shakhtar Donetsk é a vitrine sonhada por dois brasileiros que vivem momentos distintos na Europa. Em lados opostos, o meia Willian, ex-Corinthians, e o zagueiro Naldo, há quatro temporadas na Alemanha, querem mostrar serviço na final, em Istambul, na Turquia. Acesse e acompanhe a final da Copa da Uefa, a partir das 15h45"Espero que o pessoal da seleção brasileira esteja acompanhando o jogo", diz Naldo, preterido por Dunga das convocações, desde o início do ano passado. Consagrado no Werder Bremen, o zagueiro de 27 anos, ex-Juventude, saiu do Brasil em 2005, sem alarde. Em 2007, logo após a chegada de Dunga ao comando da seleção, teve suas primeiras chances e chegou a integrar o grupo campeão da Copa América daquele ano. As boas atuações nesta temporada ainda não resultaram em convocações, mas Naldo diz que está tranquilo. "Estou trabalhando forte para que isto aconteça e espero voltar a defender aquela camisa." Adaptado ao futebol alemão e reconhecido pela torcida do Werder, ele diz que a decisão de hoje tem mobilizado o clube. "No último jogo, pelo Campeonato Alemão, a torcida nos pediu este título. Depois, foi nos encontrar no aeroporto para desejar boa sorte", afirma. "Sabemos que a gente pode entrar para a história do Werder."Do outro lado, o meia Willian, 20 anos, vê na decisão de hoje a chance de ser mais do que apenas um "amuleto da sorte" no Shakhtar. Em 2007, o atleta deixou o País como uma das principais promessas da nova geração. Após duas temporadas, porém, ainda não conseguiu se firmar como titular. "No começo, fiquei chateado por não ter jogado com tanta frequência", afirma. "Quando cheguei aqui jogava mais como segundo volante e agora estou exercendo a função de meia, encostando no ataque, o que é bem melhor."Mesmo começando os jogos na reserva, ele mostrou nesta Copa Uefa que tem estrela - basta recordar a semifinal do torneio. Partiu dele o passe para Ilsinho fazer 2 a 1 e eliminar o rival ucraniano Dínamo de Kiev. Para a grande final, Willian espera ter nova chance de entrar e já sonha mais alto. "Sonho, penso como vou comemorar o gol do título", diz o meia. "Se fizer isso, vai ser uma emoção muito grande e ficarei muito feliz."O forte assédio dos tempos de Corinthians contrasta com uma relação distante no Shakhtar. "A torcida na Ucrânia é mais fria", diz. "Alguns pedem autógrafos, mas não são tão fanáticos quanto no Brasil. Mas sinto que eles têm carinho por mim." DIEGO FORAA partida terá a presença de outros quatro brasileiros, todos do Shakhtar: Fernandinho, Jadson, Ilsinho e Adriano. Um dos jogadores de maior destaque na Europa, o meia Diego, do Werder, está suspenso e não joga a decisão. "Isso é bom para a gente", admite Willian. "É um jogador que vem fazendo a diferença no Werder Bremen."O zagueiro Naldo reconhece que a ausência do companheiro será sentida. "É uma peça importante. Nesta Copa Uefa ele mostrou força como líder ofensivo." Praticamente negociado com a Juventus, da Itália, Diego viajou com a delegação alemã até a Turquia. "Ele vai nos ajudar do lado de fora do campo", garante Naldo. Esta edição marca a primeira vez em que as duas equipes chegam à final da Copa Uefa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.