Finalistas emparelhados na disputa de melhor da Europa

Messi, Iniesta e Cristiano Ronaldo entram em igualdade na disputa do prêmio, cujo resultado será divulgado dia 30

O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2012 | 03h07

O argentino Lionel Messi, o português Cristiano Ronaldo e o espanhol Andrés Iniesta são os finalistas da segunda edição do prêmio de melhor jogador da Europa, organizado pela Uefa. Ao contrário da premiação do ano passado, vencida pelo argentino com larga vantagem, a disputa na temporada 2011/2012 está equilibrada e vai ser resolvida na lupa.

Uma enquete do site do jornal espanhol Marca, de viés madrilenho, terminou com apertada vantagem para Cristiano Ronaldo (46,6 a 42,4%). Iniesta ficou distante, com 11%. O Mundo Deportivo, periódico de cores catalãs, respondeu em seguida: Messi, 70%; Iniesta, 17%, e Cristiano Ronaldo, com minguados 14%.

Os jornalistas europeus que vão escolher o vencedor no dia 30 de agosto, durante o sorteio da fase de grupos da Copa dos Campeões, em Mônaco, têm sólidos argumentos para votar em qualquer um dos três finalistas no prêmio, uma prévia da Bola de Ouro, da Fifa.

Embora não tenha conquistado a Copa dos Campeões - o Barcelona foi eliminado nas semifinais pelo Chelsea em uma partida em que perdeu um pênalti -, Messi teve uma temporada extraordinária, na qual marcou 73 gols e se tornou o maior artilheiro da história do clube catalão. Foi goleador da Copa dos Campeões pela quarta vez consecutiva, com o recorde de 14 tentos. Teve grandes atuações, mas título mesmo só o da Copa do Rei. É favorito até em par ou ímpar.

Cristiano Ronaldo vem a seguir, empatado tecnicamente. Foi o astro da campanha do título do Campeonato Espanhol - o primeiro em quatro anos -, também semifinalista da Copa dos Campeões e estrela solitária da campanha que colocou a seleção de Portugal entre os quatro melhores na Eurocopa (o prêmio também leva em conta as atuações pelas seleções).

Andrés Iniesta liderou a Espanha no bicampeonato da Eurocopa e foi eleito o melhor do torneio. Embora esteja sempre à sombra de Messi no Barcelona, merece um reconhecimento internacional pelo conjunto de sua obra.

A escolha dos finalistas reflete o domínio dos espanhóis. Em termos objetivos, Barcelona e Real estão entre os quatro melhores do continente. Subjetivamente, protagonizaram clássicos que hipnotizaram o mundo. O campeão europeu Chelsea acabou representado na lista dos melhores por Drogba (7.º) e pelo goleiro Cech (8.º). Andrea Pirlo, veterano italiano, chegou em um honroso quarto lugar.

Se alguém tiver de apostar em Messi, Cristiano ou Iniesta como vencedor, é melhor cravar um duplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.